1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Únicos já garantidos em 2014, Brasil e Japão abrem Copa das Confederações

Seleção de Felipão entra em campo em Brasília com missão de convencer a torcida e manter a invencibilidade contra os japoneses, que, com o time principal, jamais na história venceram os brasileiros.

As duas equipes são as únicas já classificadas para a Copa do Mundo de 2014. O Brasil, por ser anfitrião do torneio, e o Japão, que conseguiu se qualificar mais de um ano antes do evento. Essa coincidência dá um sabor especial à partida de abertura da Copa das Confederações, neste sábado (15/06), no Estádio Nacional de Brasília. Um gosto de que agora a coisa é para valer.

O Brasil entra em campo com a missão de ganhar, é claro. O peso de ter saído vitorioso de três das seis edições do torneio (incluindo as últimas duas) e de ainda jogar em casa é grande. Mais importante, entretanto, é que a equipe do técnico Luiz Felipe Scolari tem que convencer a torcida. Depois de sete meses no cargo, Felipão ainda não conseguiu resultados satisfatórios, à exceção da vitória de 3 a 0 sobre a França, em Porto Alegre, no domingo passado. Além disso, o time que lidera amarga atualmente a 22ª no ranking da Fifa, a pior colocação de toda sua história.

Fardo pesado

Nos amistosos disputados sob o comando de Felipão desde fevereiro, o Brasil acumulou uma derrota ante a Inglaterra e empates com Itália, Rússia, Chile e, novamente, com a seleção inglesa. Depois, goleou a frágil Bolívia, antes de sua primeira vitória diante de uma equipe de ponta desde 2009, contra os bleus, que jogaram sem seis titulares.

Outro que pisa o gramado no sábado carregando um fardo pesado é o ídolo Neymar. O jovem de 21 anos, recém-contratado pelo Barcelona por 57 milhões de euros, ​​é considerado praticamente a estrela máxima da Seleção, mas também ainda não conseguiu repetir com a camisa verde-amarela as mesmas atuações que o fizeram brilhar no Santos. Além disso, está há 842 minutos sem balançar as redes, período que compreende nove partidas ─ duas pela seleção e sete pelo Santos.

Thiago Silva

O capitão Thiago Silva, um dos jogadores mais experientes do time de Felipão

Para avançar às semifinais, a equipe terá que se classificar entre os dois primeiros do grupo A, que compõe, juntamente com México ─ que se converteu na última década num carrasco do Brasil ─ e Itália.

Japoneses querem estragar festa

Uma estreia com uma vitória convincente sobre o Japão é importante para a recuperação da autoestima brasileira e do apoio da torcida. Neymar, entretanto, não quer dar margens a um otimismo excessivo e advertiu que o Japão será um rival difícil.

"O Japão evoluiu muito, é uma grande seleção. Tem (Keisuke) Honda e a (Shinji) Kagawa, que podem definir uma partida", disse o craque.

Os campeões asiáticos, com o passaporte já carimbado para a Copa, sonham em estragar a festa brasileira logo no começo. O meio-campo Kagawa, do Manchester United, que sua equipe vai à Copa das Confederações "para ganhar". Ainda mais enfático foi o zagueiro Yuto Nagatomo, do Inter de Milão.

"Participamos do torneio. Portanto, queremos ganhá-lo", garantiu o atleta. "Mas nosso jogo ainda tem que melhorar em muitos aspectos, e estou concentrado em fazer o possível para levantar a taça".

Prováveis escalações:

Brasil: Julio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo e Paulinho; Oscar, Neymar e Hulk; Fred. Técnico: Luiz Felipe Scolari

Japão: Eiji Kawashima; Atsuto Ushida, Yuto Nagatomo, Yasuyuki Konno e Maya Yoshida; Makoto Hasebe, Yasuhito Endo, Shinji Kagawa e Keisuke Honda; Ryoichi Maeda e Shinji Okazaki. Técnico: Alberto Zaccheroni

Local

Estádio Nacional de Brasília ("Mané Garrincha")

Árbitro

Pedro Proença (Portugal), auxiliado por seus compatriotas José Trigo e Bertino Miranda.

Flash-Galerie Asian Cup 2011 Japan Katar

Keisuke Honda: meia é um dos destaques dos japoneses

Destaques

Brasil

Neymar: Há 842 minutos sem marcar, atacante chegou a ser vaiado no amistoso contra a França, em Porto Alegre, e entra na arena de Brasília com obrigação de mostrar serviço.

Japão

Honda: O meia Keisuke Honda, do CSKA Moscou, é cobiçado por diversos clubes na Europa. Marcou 13 gols em 41 partidas pelo Japão, desde sua estreia internacional, em 2008.

Retrospecto

Em nove confrontos, foram sete vitórias do Brasil e dois empates.

Último confronto

A última partida foi em 16 de outubro de 2012, na Polônia, contra a equipe do técnico Mano Menezes. O Brasil goleou os japoneses por 4 a 0.

Curiosidade

Apesar da pouca tradição no futebol, o Japão já participou de quatro Copas das Confederações. Seu melhor resultado foi em 2001, quando, em casa, perdeu para a França na final.

Leia mais