1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Índices financeiros medem eficiência de clubes

Sete índices medem o sucesso dos clubes de futebol europeus que estão nas bolsas de valores. O Borussia Dortmund é o único da Alemanha a compor o Champions-Index.

default

Sucesso ou fracasso dos 38 clubes de futebol europeus cujas ações são negociadas nas bolsas de valores são medidos atualmente por sete índices. Um deles, o Champions-Index — criado pelo banco alemão WGZ — congrega apenas 11 clubes da nata do futebol europeu, como a Juventus de Turim, o Ajax de Amsterdã, o Manchester United e o Borussia Dortmund. Não é de admirar que o presidente do clube alemão tenha manifestado satisfação, ao saber de sua criação.

Ingo Süssmilch, do WGZ, explica a razão da restrição à cotação de apenas alguns nomes: "Só mesmo os clubes nacionais de ponta, que têm também projeção internacional, é que vão conseguir se impor a longo prazo no mercado de capitais".

O índice mais abrangente, o Dow Jones Stoxx Football, criado já em abril, avalia 33 clubes europeus. Os outros cinco índices existentes restringem-se ao futebol britânico, datando o mais antigo deles, o Nomura Football Club Index, de 1992.

Cotações na gangorra — Embora incluídas no índice do WGZ, as ações do Borussia Dortmund vêm perdendo drasticamente seu valor, desde o lançamento, e oscilam consideravelmente, ao ritmo das vitórias e das derrotas da equipe. Lançadas em outubro de 2000 com a cotação de 11 euros, elas não chegam a valer 4 euros hoje e chegaram a cair para menos de 3 euros, na sexta-feira (13), após a derrota do campeão alemão para o Milan na Liga dos Campeões.

Mas o clube alemão está em boa companhia: mesmo as ações do clube mais rico do mundo, o ex-campeão inglês Manchester United, perderam 30% de seu valor no ano passado e continuam com baixa cotação este ano. "Este é o problema de quase todos os clubes que lançaram ações na bolsa quando ela estava em alta. A fraqueza geral da economia também está atingindo os clubes de futebol, mas em menor grau do que outros setores", esclarece Süssmilch.

Para proprietários de ações do clube de Dortmund, o especialista do banco WGZ só tem palavras tranqüilizadoras: "O Borussia é avaliado em 60 milhões de euros e tem uma equipe de jogadores no valor de 140 milhões de euros. Quando as dívidas com a construção do estádio estiverem pagas, as ações na verdade devem dobrar de valor."

O Borussia é o único clube-empresa da Alemanha com ações cotadas em bolsa de valores. O Bayern de Munique já se transformou em empresa de capital aberto, mas vem postergando o lançamento de ações no mercado.

Links externos