1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Índia se torna primeiro país asiático a pôr satélite na órbita de Marte

Nunca uma nação havia tido sucesso em sua primeira tentativa de chegar ao planeta. Projeto teve custo de apenas 74 milhões de dólares e fez indianos igualarem feito de Rússia, EUA e Europa.

A sonda Mangalyaan entrou na órbita de Marte nesta quarta-feira (24/09), convertendo a Índia na quarta potência a conseguir tal feito. O êxito foi anunciado pelo primeiro-ministro Narendra Modi, que qualificou o momento como "histórico".

"Hoje foi feita história", disse o premiê em meio a aplausos no centro de comando da agência espacial indiana (Isro). "Ousamos nos lançar no desconhecido e alcançamos o quase impossível."

Com a chegada da sonda, a Índia se torna o primeiro país asiático a alcançar Marte, juntando-se ao seleto grupo composto por Estados Unidos, Rússia e Europa.

Essa também foi a primeira vez que uma nação conseguiu chegar a Marte em sua primeira tentativa – e com um orçamento relativamente baixo. O projeto de três anos custou 74 milhões de dólares (178 milhões de reais) – dez vezes menos que os EUA gastaram para enviar a sonda Maven a Marte.

Em seu discurso, o primeiro-ministro indiano ressaltou que o projeto custou menos do que superproduções de Hollywood, como o recente filme de ficção-científica Gravidade.

A Mangalyaan, que significa veículo de Marte, foi lançada no dia 5 de novembro do ano passado – cinco anos após o lançamento da sonda indiana Chandrayaan para a Lua – e percorreu um total de 670 quilômetros em 300 dias.

Nos próximos seis meses, o satélite deverá estudar a superfície, a topografia e a atmosfera do planeta. A missão também vai se concentrar na busca de metano, um dos indicadores da existência de vida.

Menos de 50% de todas as missões internacionais a Marte foram bem-sucedidas, e nenhuma delas havia tido êxito em sua primeira tentativa. Em 2011, por exemplo, a China, que rivaliza com a Índia na corrida espacial, fracassou numa missão semelhante. Em 2003, fora a vez do Japão.

IP/lusa/dpa/rtr/afp

Leia mais