1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Élber ainda acredita em convocação para a Copa do Mundo

O atacante do Bayern de Munique diz que não acha Scolari rancoroso e fixa, como meta, fazer gols e ser novamente campeão alemão. Assim, espera convencer a CBF a convocá-lo para a Seleção Brasileira.

default

Élber (à esq.) não discute mais valor da multa por atraso

Giovane Élber não desistiu de ir à Copa do Mundo pela Seleção Brasileira. Apesar dos atritos com o treinador Luiz Felipe Scolari, Élber está otimista. "Eu falei com ele ao telefone e não acho que ele seja rancoroso. Eu continuo acreditando que tenho boas chances de participar da Copa", declarou o brasileiro em Marbella, na Espanha, onde o Bayern de Munique se prepara para a reta final da temporada 2001/2002.

Apesar de convocado para as últimas partidas das Eliminatórias da Copa do Mundo, Élber não se apresentou à comissão técnica da Seleção Brasileira. Com uma lesão no joelho, o Bayern de Munique o impediu de viajar ao Brasil para que o médico da CBF apenas constatasse a contusão. "Eu estava machucado, não podia jogar", lembra Élber, que no início deu razão ao clube, mas depois afirmou que preferia acompanhar a delegação brasileira.

O atacante sabe, porém, que para ser chamado por Scolari precisará mostrar serviço. "Meu primeiro objetivo é conquistar o Campeonato Alemão com o Bayern de Munique. Sem gols e sem vitórias com o Bayern, não posso ter a pretensão de integrar a Seleção Brasileira", observa o jogador de 29 anos.

Um dia no Brasil = uma semana na Alemanha

Indagado sobre o comentário do jogador Marco Bode, do Werder Bremen, de que os salários na Bundesliga estão muito altos, Élber retrucou: "Isto é ridículo. O clube ganha muito dinheiro conosco." O atacante aconselha Bode a doar seu excesso salarial ao projeto de assistência a crianças de rua que o paranaense mantém em Londrina. "Preciso de cada centavo para ele", justifica.

O brasileiro considera encerrada sua discussão com o técnico Ottmar Hitzfeld e a diretoria do Bayern de Munique em função da multa de 25 mil euros (R$ 53 mil) que terá de pagar por seu atraso na reapresentação após o recesso natalino. "Tenho de aceitar a punição. Cometi um erro ao não telefonar para o treinador", admite o atacante. No entanto, Élber ainda clama por compreensão por sua esticada na terra natal. "Um dia no Brasil é como uma semana na Alemanha", justifica.

Leia mais