1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Élber: "Acho muito difícil uma seleção ganhar da Argentina"

Craque do Cruzeiro, que escreve Blog na DW-WORLD, analisa o desempenho de Brasil e Alemanha na primeira fase, diz que troca de gramado foi erro da Fifa e que arbitragem pode decidir o Mundial.

default

Atacante do Cruzeiro comenta na Copa em Blog da DW-WORLD

DW-WORLD : Quais foram as grandes surpresas da primeira fase do Mundial?

Giovane Élber : Para mim, a grande surpresa foi a seleção de Gana, que chegou às oitavas-de final, em sua primeira participação numa Copa do Mundo; a Suíça, que vem apresentando um bom futebol; e Portugal. O Felipão está fazendo um excelente trabalho e conseguiu dar uma cara de time vencedor à equipe de Portugal.

O que achou do desempenho do Brasil na primeira fase?

Eu esperava um pouco mais do que foi feito nos dois primeiros jogos. Já no jogo de estréia contra a Croácia, que foi difícil, mas acabamos conquistando os três pontos. No final, todo mundo fala que os três pontos é o que foi importante, e realmente foi nesse jogo. O segundo jogo também foi muito difícil, porque a Austrália soube marcar muito bem o Brasil. Contra o Japão foi um bom jogo para apagar um pouco a impressão que a seleção deixou nas duas primeiras partidas, em que pareceu jogar de freio de mão puxado. Foi bom para mostrar que os brasileiros ainda sabem marcar gols e não apenas ganhar por 1 a 0 ou 2 a 0.

O futebol brasileiro dos dois primeiros jogos chegou a ser qualificado como "futebol burocrático". Parreira cometeu erros ou foi apenas falta de condição dos jogadores?

Acho que o problema foi que quando se entra numa Copa do Mundo como o grande favorito todo mundo espera que você comece ganhando os jogos por 3 a 0, 4 a 0. Mas vimos nessa Copa do Mundo que todos os jogos são difíceis, não só para o Brasil, mas também para a França, a Argentina ou outras equipes. A Costa do Marfim mandou em boa parte do jogo em que a Argentina ganhou por 2 a 1. Mas, como o Brasil tem muitos bons jogadores, sempre se espera uma goleada. E quando isso não acontece, surgem as críticas de que o Brasil está jogando só pelo resultado. Acredito que o Brasil desde o começo da Copa já queria fazer mais gols e mostrar para todo mundo que merece estar entre os favoritos.

O principal foco das críticas foi Ronaldo. Houve algum esquema para manter o jogador na equipe, só para que ele pudesse quebrar o recorde de gols de Gerd Müller em Copas?

WM 2006 - Brasilien - Spieler - Ronaldo

Ronaldo: livre da maré de azar

O que eu acho legal é que já nos dois primeiros jogos, contra a Croácia e a Austrália, todos os jogadores da seleção estavam procurando lançar a bola para ele. Eles sabem que vão precisar dele para os jogos finais. Contra o Japão ele mostrou de novo que é um goleador, que não precisa de muito espaço para fazer os gols. Aquele azar que ele teve nos dois primeiros jogos, parece que foi embora. Agora é esperar que das oitavas-de-final para frente ele possa melhorar sua condição física. Nós vimos que ele não é mais aquele Ronaldo que se estava acostumado a ver. Mas ele tem muito futebol ainda.

Você conta com ele até na final, se o Brasil chegar lá?

Sim. É um jogador que tem experiência, que nas horas mais difíceis sabe decidir. Ele foi muito criticado nos dois primeiros jogos, às vezes até com razão, porque não está mesmo na sua melhor condição física. Mas contra o Japão deu para ver que, se o deixarem dominar a bola perto da área ele é um jogador perigoso e que pode fazer muita diferença. Agora ele sabe que afastou essa maré de azar e podemos esperar boas coisas dele ainda.

E os reservas, que fizeram um bom jogo contra Japão, voltam para o banco?

Com certeza, vão voltar para o banco. A única duvida é se fica o Robinho ou se volta o Adriano. Os outros – Gilberto, Gilberto Silva, Juninho e Cicinho – tiveram seu espaço para mostrar por que estão na seleção, mas acho que voltam para o banco. Não existe na seleção brasileira o dito reserva. Qualquer jogador que entra tem plenas condições de fazer gols e decidir partidas também.

E a Alemanha. O que você achou do desempenho dos anfitriões na primeira fase?

WM 2006 - Deutschland - Fans - Grossbild

Com apoio da torcida, Alemanha pode ir longe

Eu estou muito surpreso com o futebol que eles vêm mostrando. Não foram muito bem nos amistosos antes da Copa. A defesa foi muito criticada. Mas eles deram a volta por cima e dentro da competição estão crescendo a cada jogo, com o incentivo da torcida, como o Klinsmann pediu. No meu ponto de vista, é uma seleção que é candidata a chegar às finais.

Isso significa que você parte do princípio de que eles conseguem vencer a Suécia neste sábado.

Eu acredito que eles possam passar pela Suécia, no sábado, nas oitavas. Sabemos que não será um jogo fácil, mas acho que eles têm condições sim de passar pela Suécia e depois jogar contra uma Argentina, quem sabe.

E quem consegue barrar a Argentina? A Alemanha?

Se os dois chegarem às quartas-de-final, vai ser um excelente jogo. A Argentina, do meu ponto de vista, até ontem era a melhor seleção, que jogou o melhor futebol, que soube atacar e se defender muito bem. O Brasil ontem mostrou sua cara de novo. Fico feliz por isso, que o Brasil tenha mostrado que está vivo ainda na competição. Mas a Argentina é difícil. Se possível, que Brasil e Argentina cheguem à final e aí vamos ver quem é o melhor. Eles estão com uma excelente equipe e eu acho muito difícil no momento alguém ganhar da Argentina.

Leia mais: O que Élber diz sobre a seleção de Gana, adversária do Brasil nas oitavas-de-final.

Leia mais