É tempo de Beaujolais Nouveau | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 17.11.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

É tempo de Beaujolais Nouveau

Saiu a nova safra do Beaujolais Nouveau: há 60 anos que os produtores da região de mesmo nome são os únicos na França a poder comercializar um vinho recém-engarrafado.

default

Apenas algumas poucas semanas na garrafa

Le Beaujolais nouveau est arrivé: o Beaujolais novo chegou. Há 60 anos que se celebra anualmente na França a chegada da nova safra do vinho Beaujolais Nouveau. O hábito virou tradição popular e o grande dia para festejar e beber o primeiro gole é sempre a terceira quinta-feira do mês de novembro.

Mas a celebração não é restrita à França: em diversos pontos do mundo o vinho jovem, com o discreto sabor de frutas escuras, como amoras e ameixas, é aguardado com ansiedade.

A cor do Beaujolais Nouveau oscila entre o vermelho rubi e o violeta. Características como essa podem variar ligeiramente de um ano para o outro. A concentração de álcool não é alta e o vinho jovem não dura muito: ele deve ser tomado, no máximo, até a Páscoa.

Uma exceção

BdT Beaujolais Nouveau Frankreich

O Beaujolais Nouveau é apreciado por muitos franceses

Desde 1951 que os vinicultores da região de Beaujolais comemoram o fato de serem os únicos na França com o direito de comercializar um vinho ainda no mesmo ano da colheita da uva. No caso do Beaujolais, é a uva gamay, usada para a produção de vinhos leves.

De início, o vinho da uva "recém-pisada" era bebido apenas pelos próprios vinicultores para celebrar o fim da safra. Mas alguns comerciantes espertos começaram a vendê-lo em Paris, e a fama se espalhou. Logo todos queriam ser os primeiros a vender o vinho "ainda não bem pronto".

Hoje o consumo é menor do que nos anos de ouro. Em Paris, por exemplo, os barris do vinho novo continuarão espalhados pelas calçadas em frente a bistrôs como o Rubis, mas a velha tradição de beber o vinho parado de pé, do lado de fora do bar, na companhia de amigos e passantes, acabou por causa de leis mais severas.

De acordo com um dos garçons que atende no Rubis, antigamente a primeira safra do vinho novo era o evento do ano. "Esses tempos acabaram", afirma.

Os anos dourados do Beaujolais Nouveau foram as décadas de 1980 e 1990. Fama internacional o vinho conquistou a partir de 1985, quando foi definida a terceira quinta-feira de novembro como a data em que ele chega ao mercado. A chegada da primeira safra do Beaujolais aos bares acabou virando um grande evento.

O Japão abriga o maior grupo de fãs do vinho depois da França. São os japoneses que compram quase metade das 15 milhões de garrafas exportadas anualmente. A Alemanha está na posição de número três entre os importadores, atrás dos Estados Unidos.

De olho nos emergentes

Japão é grande importador de Beaujolais

Japão é grande importador de Beaujolais

Desde o início do século, as vendas de Beaujolais Nouveau regrediram. Uma melhora foi observada nos últimos dois anos, afirma Jean Bourjade, da associação de vinhos Interbeaujolais. Agora a intenção é melhorar as vendas por meio de uma nova iniciativa de marketing, segundo a associação dos vinicultores.

Segundo Bourjade, os produtores estão de olho nos países emergentes: "Sobretudo o Brasil e a Rússia. A China menos, porque eles apostam mais no vinho Bourdeaux", explica. 

Apesar da queda da venda do Beaujolais Nouveau, a França continua liderando a produção de vinhos mundialmente. Em 2011, o país produziu 49,6 hectolitros – 9% a mais que no ano passado. A Itália alcançou 42,2 milhões de hectolitros. A Espanha, 35,3 milhões e a Alemanha, 9 milhões de hectolitros.

BR/dw/dapd/dpa
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais