1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Áustria reforça controle na fronteira com Hungria

Primeiro dia de operação leva à detenção de cinco atravessadores, 200 migrantes em situação ilegal e a 30km de congestionamento. Viena diz que medida, em parceria com alemães e eslovacos, não viola Acordo de Schengen.

A ampliação dos controles na fronteira com a Hungria, onde na semana passada

foi encontrado um caminhão

com 71 corpos de migrantes, levou nesta segunda-feira (31/08) a polícia austríaca a prender cinco atravessadores de refugiados. Na operação, cerca de 200 migrantes ilegais foram retidos.

Os dois países são membros do Espaço Schengen, a zona de livre-trânsito da União Europeia. Em circunstâncias normais, veículos são raramente controlados pela polícia. Mas, na madrugada passada, as operações resultaram num enorme congestionamento, chegando a 30 quilômetros de extensão na manhã desta segunda-feira, na rodovia que liga Budapeste a Viena.

"Horas após o início da implementação das novas medidas em colaboração com Alemanha, Hungria e Eslováquia, pudemos remover mais de 200 refugiados de veículos e deter cinco contrabandistas", afirmou o diretor de Segurança Pública do Ministério do Interior austríaco, Konrad Kogler.

Os policiais verificam caminhões, furgões e automóveis para deter o fluxo de refugiados e aqueles que lucram com o tráfico de pessoas. A ministra do Interior, Johanna Mikl-Leitner, garantiu que o controle, apesar de mais estrito, não viola o Acordo de Schengen.

"O objetivo principal é deter as gangues de contrabandistas. O que ocorre aqui são controles de tráfego conduzidos pela polícia rodoviária e forças de segurança, não se trata de controle de fronteira", afirmou o porta-voz da polícia austríaca, Helmut Marban.

Antes do início das novas operações, a polícia no estado da Alta Áustria já havia detido, apenas neste ano, 93 traficantes que transportavam um total de 1.630 migrantes.

Os ministros da União Europeia foram convocados para reunião extraordinária em 14 de setembro para discutir o forte aumento da imigração irregular, enquanto líderes da UE buscam unidade para dar uma resposta à crise dos refugiados.

O Conselho de Justiça e Assuntos de Interior, integrado pelos ministros de Interior e Justiça dos 28 países-membros da UE, se reúne usualmente a cada três meses. Luxembrugo,que exerce atualmente a presidência do bloco, disse que a reunião terá foco na política de retorno, cooperação internacional e investigação, além de medidas contra o tráfico humano.

RC/rtr/afp

Leia mais