1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Área de busca por voo MH370 muda após nova pista

Avião estaria a uma velocidade maior do que a estimada anteriormente, o que teria encurtado o percurso percorrido. Empresas de seguro na China já começaram a pagar indenizações a parentes de passageiros.

A área de busca por sinais do voo MH370 da Malaysia Airlines, desaparecido em 8 de março com 239 pessoas a bordo enquanto fazia a rota entre Kuala Lumpur e Pequim, mudou em 1,1 mil quilômetros para nordeste depois de autoridades anunciarem novas pistas na investigação.

De acordo com a Autoridade para Segurança Marítima Australiana (AMSA, na sigla em inglês), a mudança na área de busca foi feita com base em novas informações obtidas a partir de uma análise de dados de radar recebidos logo após o Boeing 777 cortar a comunicação com as torres de comando.

"Isso [as novas informações] indicam que a aeronave estava viajando mais rápido do que estimamos inicialmente, resultando num maior uso de combustível e reduzindo a distância que o avião teria percorrido rumo ao sul do Oceano Índico", afirmou a AMSA, que coordena as equipes de busca.

Nesta sexta-feira (28/03), pelo menos dez aeronaves de seis países desviaram sua rota para a nova área para intensificar os trabalhos de busca. Segundo especialistas, a nova região é mais próxima do continente e a previsão de tempo é melhor lá, o que pode facilitar as buscas.

Seis navios também seguiam rumo ao local para vasculhar os 319 mil quilômetros quadrados da nova área, que tem uma profundidade que varia entre 2 mil e 4 mil metros e fica a cerca de 1,850 quilômetros a oeste da cidade australiana de Perth, ou seja, mais perto da costa do que a área anterior.

Durante a semana, a divulgação de imagens de satélites mostrando objetos localizados no mar aumentou as esperanças de que o mistério do voo MH370 estaria perto de ser resolvido. Até agora, porém, não está claro se essas peças eram mesmo do avião desaparecido.

"Esta é uma busca extraordinariamente difícil, e uma espera agonizante para as famílias e amigos dos passageiros e tripulantes", disse o primeiro-ministro da Austrália, Tony Abbott. "Nós devemos a eles ir atrás de todas as pistas."

Indenizações

Mesmo sem um fim previsto para as investigações, empresas de seguro da China já começaram a pagar compensações para parentes de passageiros a bordo do voo da Malaysia Airlines.

A maior empresa do tipo da China afirmou ter pago indenizações no valor de 671,6 mil dólares às famílias de sete passageiros.

Um comitê de auxílio aos parentes também foi organizado e já estaria em contato com advogados nos EUA para entrar com um processo contra a Malaysia Airlines.

RM/afp/ap/rtr

Leia mais