1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Água de Colônia para o mundo

Poucas firmas de Colônia têm uma tradição tão longa quanto a Muelhens, fundada em 1792, graças ao seu líder mundial de vendas Kölnisch Wasser 4711 (a legítima "Água de Colônia").

default

Frascos da autêntica água de Colônia

Diz a lenda da empresa que ela começou depois que Wilhelm Mülhens casou com a filha de um tabelião e recebeu uma receita secreta para produção da "água de Colônia" de um monge chamado Franz Maria Farina, como presente de casamento. Atualmente, a Muelhens GmbH e Co.KG tem quase mil empregados. A empresa integra o grupo dos maiores produtores de perfumes e cosméticos do mundo. Como a famosa Catedral de Colônia, a firma conhecida pelo número 4711 é uma marca mundialmente conhecida e serve de propaganda para a cidade onde nasceu.

Mühlens adquiriu a casa número 4711 da rua Glockengasse de Colônia, em 1796, dois anos após o início da ocupação da cidade pelas tropas de Napoleão, que só terminaria em 1814. A força invasora francesa havia ordenado uma renumeração de todas as casas da cidade. Originalmente no número 4711, o italiano Giovani Paolo Feminis oferecia aqua mirabilis. Até 1709, a firma Johann Maria Farina foi um produtor bem sucedido de água de colônia, que era tida como remédio contra todo tipo de doença do corpo, desde dor de dente até peste. O nome Farina virou sinônimo para "Eau de Cologne" e garantia de sucesso.

Edital Napoleônico – Mülhens, que havia resolvido produzir e comercializar sua receita secreta, também escolheu Farina como nome de sua firma situada na casa número 4711. Depois de um início bem sucedido, ela sofreu o primeiro revés em 1810: Napoleão ordenou a revelação de todas as receitas de remédios. O fabricante da água de Colônia decidiu dar um passo corajoso: não fabricaria mais água milagrosa e sim água de cheiro.

Os viajantes que embarcavam ou desembarcavam na estação do correio (Poststation) compravam um vidrinho de água de Colônia para se refrescarem durante a viagem. Oficiais franceses, que iam da Renânia de volta à pátria propagavam a água da Colônia na França. Contemporâneos famosos como Johann Wolfgang von Goethe e Richard Wagner e muitos membros da coroa real usavam a autêntica água de Colônia (Echt Kölnisch Wasser), cujo teor era 100% de extrato natural. Ainda hoje, a água 4711 é produzida conforme a receita secreta, que foi passando para cada novo dono da empresa.

4711 na França – Mülhens criou as primeiras representantes de sua firma na França, Rússia e Inglaterra. Em 1878, seu neto, Ferdnand Mülhens, ao contrário, perdeu o processo na disputa pelo uso do nome Farina na França e lá a firma foi batizada apenas como 4711. Com isso, começou o sucesso de uma série de nomes de marca da atualidade.

Depois de vários processos por causa de nomes na Alemanha, a firma passou a se chamar, em 1990 "Muelhens – Cologne, Paris, New York". Seu subtítulo "The Culture of Beauty" manifestava a pretensão de fazer de uma velha empresa familiar uma firma de nome bem sucedido. O motivo da mudança foi uma queda de faturamento nos anos 80. Mas o número histórico 4711 foi mantido no nome.

Cabeça fria – 4711 ganhou uma nova imagem em 1991, baseada na própria finalidade do produto. "Precisamos novamente de cabeças frias" foi o slogan com o qual a empresa propagava a transformação de sua água refrescante. Sem mudar a composição ou a embalagem do produto, a Muelhens destacou o efeito estimulante da Kölnisch Wasser como água milagrosa dos tempos pré-napoeônicos.

A Muelhens queria acabar com a sua fama de produtor de perfume barato. E propagava que Echt Kôlnisch Wasser não é a mesma coisa que Eau de Cologne, que serve hoje de designação de perfume suave. Mas naquele tempo, outros produtos da Muelhens fizeram furor, já que a empresa os ligou com nomes famosos. "Gabriela Sabatini" foi o novo lançamento mais bem sucedido no mercado alemão de cosméticos e perfumes, em 1989. Outras séries foram rebatizados com nomes de estrelas da TV e da moda. Para 2003, a Muelhens tem planos para o nome da modelo Naomi Campbell.

Até há poucos anos, a Muelhens era uma simples empresa familiar. Em 1994, o conglomerado Wella apoderou-se de 91% dela e em 2003 adquiriu o restante de Ferdinand Mülhens. O novo proprietário não só garante a matriz em Colônia, mas também planeja sua ampliação. 200 anos após sua criação, a Muelhens tem produtos à venda em 80 países e, como antigamente, mantém o mote "se estamos refrescados, estamos bem".

Leia mais