1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Zika: tudo o que precisa saber sobre o vírus

A OMS alerta que cerca de 4 milhões de pessoas podem ser infetadas com o vírus Zika este ano, só na América. A DW África falou com o infetologista Jorge Noel Barreto, que salienta a importância da prevenção.

Apesar de já ser conhecido desde 1947, quando foi identificado no Uganda, o vírus Zika tem causado preocupação a nível mundial, sobretudo desde os últimos meses de 2015. Nessa altura, o número de pessoas infetadas cresceu exponencialmente em todo o mundo.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alerta que cerca de quatro milhões de pessoas poderã ser infetadas este ano, somente no continente americano.

O que é o vírus Zika?

Transmitido principalmente pelo mosquito Aedes Aegypti (que é também o vetor de transmissão do vírus do dengue, da febre chikungunya e da febre-amarela), o Zika é uma infeção provocada por um vírus com o mesmo nome.

O Zika já foi detetado um pouco por todo o mundo, com maior incidência na América Latina, Ásia e África.

Quais os sintomas?

O vírus Zika pode provocar "uma febre baixa ou ausente, manchas na pele, que podem ser acompanhadas de coceira ou não, dores pelo corpo, mialgias, dores nas juntas, artralgias, timopatias ou ínguas", explica Jorge Noel Barreto, infetologista do Ministério da Saúde de Cabo Verde.

Os sintomas surgem cerca de 10 dias após uma picada. Regra geral, duram cerca de uma semana.

O especialista diz que, quando o vírus infeta o corpo das pessoas, "desencadeia imediatamente uma série de reações que deverão culminar com a formação de anticorpos. O vírus não ficará hibernado no nosso corpo." Pelo menos, segundo as informações disponíveis até agora.

O Zika é perigoso?

Até agora, menos de 0.01% de todos os casos reportados foram fatais.

No entanto, as complicações de uma infeção com Zika podem ser mais graves no caso de mulheres grávidas. Estudos recentes apontam para uma possível relação entre o vírus Zika e o aumento de recém-nascidos com microcefalia, um distúrbio do desenvolvimento fetal que provoca o nascimento de crianças com um crânio mais pequeno que o normal, que causa atrasos no desenvolvimento mental.

Honduras - Zika Virus - Schwangere Frauen in Tegucigalpa

Risco para grávidas: Pensa-se que aumento de casos de microcefalia esteja relacionado com o vírus Zika

Há cura?

Não há nenhum medicamento ou tratamento direto para a infeção do Zika, mas, para tratar os sintomas, recomenda-se a toma de anti-inflamatórios e analgésicos. Vários laboratórios em todo o mundo estão a trabalhar na tentativa de desenvolver uma vacina contra o vírus Zika.

Como se pode prevenir?

Jorge Noel Barreto diz que as pessoas devem utilizar repelente, utilizar roupas de manga comprida e evitar a formação de focos de mosquitos no interior das casas, para evitar picadas.

Além disso, segundo o infetologista, "agora, com esta nova informação sobre a possibilidade de uma transmissão por via sexual, as pessoas devem fazer uma abstinência durante o período em que estiverem doentes ou utilizar preservativo durante o período da doença e também da convalescência."

O que fazer se for infetado?

Caso se verifiquem alguns dos sintomas, os cidadãos são recomendados a dirigir-se a uma unidade de saúde de forma a receber o tratamento adequado.

Ouvir o áudio 02:45

Zika: tudo o que precisa saber sobre o vírus

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados