1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cabo Verde

Vulcão do Fogo em Cabo Verde continua imprevisível

A erupção vulcânica na ilha do Fogo levou o Governo de Cabo Verde a adiar a primeira cimeira sobre a regionalização no país, que deveria arrancar na terça-feira (01.12), na Cidade da Praia, anunciou a organização.

Em Cabo Verde, a erupção vulcânica na ilha do Fogo tem oscilado entre situações muito críticas e ligeiras melhorias. A única estrada alternativa que dá acesso à localidade de Chã das Caldeiras foi cortada pela lava e a sede do Parque Natural do Fogo foi totalmente consumida pelo fogo vulcânico.

O que se temia aconteceu no domingo (30.11). A sede do Parque Natural do Fogo (PNF) foi completamente invadida e destruída pela lava. A infraestrutura, considerada ex-libris da ilha do Fogo, foi inaugurada em março último. O financiamento foi da Cooperação Alemã em mais de um milhão de euros.

Kapverden

Fruticultura em Chã das Caldeiras, destruída pela lava.

O vulcão do Fogo entrou em erupção no dia 23 de novembro e, até ao momento, a lava já destruiu cerca de duas dezenas de casas, 14 cisternas, 15 currais e casas de apoio à agricultura.

Também destruiu uma vasta área de terrenos agrícolas, a sede administrativa e o museu do Parque Natural do Fogo, mas não provocou quaisquer vítimas. Segundo os especialistas a situação continua imprevisível.

O primeiro-ministro fala em situação de catástrofe.

“A situação é grave, é uma situação de catástrofe porque do ponto de vista material os prejuízos são enormes, mas devemos regozijarmo-nos por ainda não se ter registado nenhuma perda humana”, disse o chefe do Executivo cabo-verdiano, José Maria Neves

Neves advertiu que Chã das Caldeiras, no sopé do vulcão, poderá ficar totalmente destruída.

Porträt José Maria Neves

José Maria Neves, primeiro- Ministro de Cabo Verde

"As lavas estão a dirigir-se para Portela e esta localidade poderá ser completamente engolida muito em breve. A perspetiva é da destruição total de Chã das Caldeiras”.

Sónia Silva, especialista em vulcanologia da Universidade de Cabo Verde, alertou em entrevista à rádio pública de Cabo Verde, para os níveis elevados de dióxido de enxofre que diariamente é libertado pelo vulcão.

“Tínhamos cerca de 11 mil toneladas diárias de dióxido de enxofre, mas agora os últimos dados que recolhemos indicam uma diminuição para 9 mil e quinhentas toneladas diárias de dióxido de enxofre”.

Segundo a investigadora, a progressão da lava é de 20 metros por hora.

Dióxido de enxofre é mau para saúde

Sónia Silva fala alertou ainda sobre o impacto na saúde pública que a inalação do dióxido de enxofre pode causar.

“É um gás que se propaga em grandes altitudes e que também está misturado com cinzas. Para minimizar o impacto na saúde as pessoas devem tomar os cuidados necessários, fazendo constantemente a remoção dessas cinzas. Por outro lado, é preciso ter muito cuidado com a cinza que vai cair nas cisternas de àgua”.

Vulkansaubruch Fogo KapVerden 9

Habitantes da Chã das Caldeiras a tentar "salvar" os seus bens antes da chegada da lava (27.11)

As poucas pessoas que ainda se encontravam em Chã das Caldeiras, foram todas evacuadas nas últimas horas, devido ao agravamento da situação.

Ajudas internacionais começam a chegar

Na sequência do encontro realizado na última sexta-feira (28.11) pelo chefe do Executivo da Praia com as missões diplomáticas acreditadas no país, chega na terça-feira (02.12), a Cabo Verde a fragata portuguesa Álvares Cabral para ajudar o país a fazer face à erupção vulcânica, segundo o embaixador de Portugal no arquipélago, Bernardo de Lucena.

“Trará práticamente tudo que é prioritário de acordo com a lista que nos foi entregue pelas autoridades cabo-verdianas, nomeadamente telefones satélites e um helicóptero que virá a bordo da fragata e que irá facilitar as manobras de desembarque, podendo igualmente operar em situações de emergência. Virão ainda técnicos na área das comunicações satélites e da vulcanologia”.

Governo adia a cimeira sobre regionalização

A erupção vulcânica levou o Governo a adiar, sem data, a primeira cimeira sobre a regionalização no país, que deveria arrancar na terça-feira, na Cidade da Praia.

Ouvir o áudio 02:49

Vulcão do Fogo em Cabo Verde continua imprevisível

Também a visita do Primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Domingos Simões Pereira, a Cabo Verde que estava prevista para começar esta segunda-feira, foi adiada.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados