1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

UNITA exige pedido de desculpa de João Lourenço

Oposição angolana critica declarações do candidato à presidência do país. João Lourenço falou, em Maputo, das tentativas dos “malandros” da oposição para derrubar governos do MPLA, em Angola, e da FRELIMO, em Moçambique.

Angola Feier der MPLA João Lourenço (Getty Images/AFP)

João Lourenço, candidato do MPLA às eleições gerais em Angola

As declarações de João Lourenço foram feitas em Moçambique, durante uma visita ao país (19.03). O candidato pelo Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) às eleições deste ano em Angola, citado pela imprensa de Maputo, referiu-se às tentativas para derrubar os governos do MPLA e da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO) pelos "malandros” da oposição.

"A força está na nossa unidade. Se não formos unidos, os malandros vão-nos vencer. Os malandros estão unidos. Quer os de dentro, quer os de fora, estão unidos e não dormem. Andam todos os dias a pensar na forma como derrubar a FRELIMO e na forma de derrubar o MLPA”, afirmou João Lourenço.

"Discurso infeliz”, diz UNITA

Angola Alcides Sakala Sprecher Oppositionspartei UNITA

Alcides Sakala, porta-voz da UNITA

As declarações do ainda ministro da Defesa de Angola, levaram a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) a considerar que o candidato do MPLA às eleições gerais, não está à altura para dirigir os destinos de Angola e dos angolanos.

À DW África, o porta-voz do partido do Galo Negro, Alcides Sakala, afirma que, se o MPLA não "controlar” o seu candidato, este poderá pôr em causa os esforços do processo de paz e da reconciliação nacional.

"É um discurso infeliz de alguém que não entendeu ainda muito bem qual é o alcance do processo ou dos processos democráticos. Condenamos nos termos mais enérgicos esta tomada de posição do MPLA, porque entendemos que o cabeça de lista do MPLA fala em nome do seu partido. É nesta perspetiva que a UNITA condena. E que no fundo também é um incitamento aos atos de intolerância política.”

CASA-CE: "Malandrecos são quase o ar que ele próprio respira”

Lindo Bernardo Tito, CASA-CE in Angola (DW/N.S. D'Angola)

Lindo Bernardo Tito, vice-presidente da CASA-CE

A Convergência Ampla de Salvação de Angola - Coligação Eleitoral (CASA-CE), a terceira força parlamentar do país, liderado por Abel Chivukuvuku, na voz do seu vice-presidente, também condenou as palavras do candidato do MPLA à presidência de Angola.

Lindo Bernardo Tito considera que João Lourenço está a dormir à sombra do monopartidarismo.

"Ele esqueceu-se, claramente, que no seu próprio partido e no Executivo de que faz parte, enquanto ministro da Defesa, existem muitos malandros. Ele não invocou os malandros que fizeram falir o BESA . Ele não evocou os malandros que foram denunciados pela SIC. Ele não evocou os malandros que ficam com o dinheiro de estradas mal feitas. Era só o senhor João Lourenço ver que os malandros, os malandrões e os malandrecos são quase o ar que ele próprio respira”, afirma.

Exigência de um pedido de desculpa

Ouvir o áudio 03:03

UNITA exige pedido de desculpa de João Lourenço

Face às declarações de João Lourenço, o porta-voz do principal partido na oposição, Alcides Sakala, considera que “devia mesmo pedir desculpa à nação angolana”.

“Angola precisa de um discurso mais tranquilizador. Um discurso reconciliador. Um discurso que nos permita trabalhar todos juntos para o aprofundamento da democracia em Angola”, afirma.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados