Trump escreve a líderes africanos para dizer que respeita povo de África | NOTÍCIAS | DW | 27.01.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Trump escreve a líderes africanos para dizer que respeita povo de África

Presidente dos Estados Unidos dirigiu uma carta aos líderes do continente numa altura em que se espera uma resposta da União Africana a comentários depreciativos de Trump.

A carta de Donald Trump, datada de quinta-feira (25.01), é dirigida aos líderes africanos que estão reunidos na cimeira da União Africana a decorrer na capital da Etiópia, Addis Abeba. Na missiva, o Presidente norte-americano diz que "respeita profundamente" o povo de África e que o secretário de Estado Rex Tillerson vai realizar "uma extensa visita" ao continente, em março.

Os diplomatas norte-americanos têm-se esforçado por gerir as reações de choque e condenação depois de, numa reunião com senadores sobre política de imigração, Donald Trump ter qualificado o Haiti e várias nações africanas como "países de merda"("shithole countries", em inglês), segundo notícias divulgadas por meios de comunicação social. 

O Presidente dos Estados Unidos disse que não usou aquela linguagem, enquanto pessoas presentes na ocasião dizem que Donald Trump o fez.

Aguarda-se resposta da União Africana

O chefe de Estado norte-americano encontrou-se com o Presidente do Ruanda e novo presidente da União Africana, Paul Kagame, na sexta-feira, no Fórum Económico Mundial de Davos, chamando àquele responsável da instituição africana "amigo". Trump pediu também ao dirigente da União Africana para transmitir os seus "sentimentos calorosos" aos presidentes do continente, que se insurgiram recentemente contra as declarações "ofensivas".

Schweiz Weltwirtschaftsforum in Davos | US-Präsident Donald Trump

Donald Trump em Davos

Espera-se que o bloco africano, reunido na sua 30ª cimeira dos Chefes de Estado e de Governo, reaja aos comentários depreciativos de Trump. Uma porta-voz da UA citada pela agência de notícias Associated Press afirma que a organização ficou "francamente alarmada” com os comentários e vários países africanos pediram explicações aos diplomatas norte-americanos.

A carta de Trump indica que os Estados Unidos "respeitam profundamente” as parcerias e valores partilhados pelos EUA e os africanos e que o compromisso do Presidente com parcerias fortes em África é "firme”.

A missiva deseja ainda "os melhores cumprimentos” aos líderes africanos reunidos em Addis Abeba. Nota ainda que os soldados norte-americanos estão "a lutar lado a lado” contra o extremismo no continente e que os EUA estão a trabalhar para aumentar "trocas comerciais livres, justas e recíprocas” com os países africanos e a cooperar para "garantir a imigração legal”.

Leia mais