Tribunal turco ordena libertação de oito ativistas | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 26.10.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Tribunal turco ordena libertação de oito ativistas

Os oito ativistas dos direitos humanos estavam em prisão preventiva desde julho, por alegado apoio ao terrorismo. Entre os libertados está o alemão Peter Steudtner, que prestou serviço em Moçambique.

Um tribunal em Istambul ordenou a libertação de oito ativistas dos direitos humanos na quarta-feira (25.10). Os ativistas pertencem a um grupo de 11 pessoas detidas em julho, acusadas de apoiar grupos terroristas.

Ao sair da prisão de Silivri, perto de Istambul, o ativista alemão Peter Steudtner abraçou vários apoiantes que se juntaram ali para o receber.

"Creio que estamos mais do que aliviados. Estamos muito contentes com o que aconteceu. Eu estou muito grato; estamos muito gratos a todos os que nos apoiaram legal e diplomaticamente e demonstraram a sua solidariedade", afirmou, emocionado, na madrugada de quinta-feira.

Steudtner prestou serviço civil na Ilha de Moçambique, ajudando a reintegrar ex-crianças soldado, tendo regressado diversas vezes ao país. Esteve ainda várias vezes em Angola. A detenção do ativista deteriorou ainda mais as relações diplomáticas entre Berlim e Ancara. O ministro alemão dos Negócios Estrangeiros, Sigmar Gabriel, descreveu as acusações de terrorismo como "incompreensíveis".

Segundo a agência de notícias DPA, os dois ativistas europeus libertados, Steudtner e o colega sueco Ali Gharavi, deverão regressar a casa esta quinta-feira.

Türkei Istanbul Freilassung Peter Steudtner

Os ativistas alemão Peter Steudtner (segundo, a contar da dir.) e sueco Ali Gharavi (ao lado) falam aos jornalistas após serem libertados na madrugada de quinta-feira

A diretora da Amnistia Internacional na Turquia, Idil Eser, que também foi libertada, afirmou que a ordem do tribunal foi "surpreendente" e lembrou que "ainda há muito amigos e jornalistas que estão na prisão injustamente".

"Vamos continuar a trabalhar até que todos os defensores dos direitos humanos e jornalistas sejam libertados", prometeu Eser.

Entre os jornalistas detidos está Deniz Yücel, correspondente do diário alemão "Die Welt", igualmente acusado de apoio ao terrorismo e preso em fevereiro passado em Istambul.

Leia mais