1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cabo Verde

Transição política em Cabo Verde - um marco para a democracia no arquipélago

A cerimónia de posse está marcada para esta tarde (22.04.). O líder do Movimento para a Democracia (MpD), Ulisses Correia e Silva, substitui José Maria Neves que foi primeiro-ministro de Cabo Verde nos últimos 15 anos.

Há 15 anos, quando tomou posse pelo PAICV, José Maria Neves despertou fortes paixões: assumiu o Governo a 1 de fevereiro de 2001, tinha na altura 40 anos de idade. Hoje, com 56 anos, e já com muitos cabelos brancos, José Maria Neves não esconde a sua emoção na hora da despedida.

"Sinto-me muito emocionado e também muito orgulhoso do percurso que nós fizemos. Sai um José Maria muito mais maduro, muito mais conhecedor de Cabo Verde e com uma experiência enorme em matéria de políticas públicas", salienta o primeiro-ministro que cessa funções esta sexta-feira.

Se tivesse os meios necessários, José Maria Neves gostaria de criar um instituto ou uma fundação virada para a boa governação, área na qual se sente à vontade, depois de tantos anos de experiência no terreno: "Terei que sair brevemente para outros vôos", afirma o ex-primeiro-ministro durante uma conversa com a DW, salientando que ainda não está totalmente definido, para onde vai concretamente, depois do abandono da chefia do Governo: "A minha ideia é continuar a trabalhar na área da governação e das políticas públicas", refere José Maria Neves mais uma vez.

Candidato à presidência da República?

Ouvir o áudio 03:18

Tomada de posse do novo governo - novo marco para a democracia cabo-verdiana

Durante muito tempo Neves foi apontado como candidato às próximas eleições presidenciais, previstas para o último trimestre deste ano. No entanto fez tabu sobre a questão durante meses. Agora vem esclarecer que o projeto presidencial não faz parte dos seus planos a curto prazo: "Não tenho neste momento interesse nenhum em falar sobre as presidenciais", salienta.

A DW insiste: "Mas não se vai candidatar?" Resposta pouco esclarecedora: "Vou sair em breve de Cabo Verde e vão ver que não vai haver necessidade de especular sobre as presidenciais.

Ulisses: o homem que se segue

O homem que se segue na chefia do Governo é Ulisses Correia e Silva. Trata-se do quinto chefe de Governo desde a independência de Cabo Verde, depois de Pedro Pires (1975-1991), Carlos Veiga (1991-2000), Gualberto do Rosário (2000-2001) e José Maria Neves (2001-2016).

Kapverden Parlamentsgebäude in Praia

Edifício da Assembleia Nacional de Cabo Verde: nesta legislatura a maioria pertence ao MpD

A passagem das pastas aconteceu já nesta quinta-feira (21.04.) : Ulisses Correia e Silva começou por agradecer as palavras do ex-primeiro-ministro José Maria Neves, e lançou um elogio ao grau de democracidade do seu país: "Estamos a fazer uma transição tranquila. Em democracia as transições devem ser feitas com a máxima tranquilidade e sentido de Estado e é isso que está acontecer."

Ulisses Correia e Silva deixou, no entanto, claro que a partir de segunda-feira (25.04.) vai solicitar uma auditoria externa a alguns fundos e empresas públicas. O objetivo é obter um retrato real do país e das suas contas: "Temos um défice, um endividamento muito grande, mas é preciso saber como é que está concretamente a situação do tesouro público."

Prioridades: combate ao desemprego e relações externas

A prioridade do novo Governo é o crescimento económico para fazer reduzir o desemprego e a pobreza. Tradicionalmente Cabo Verde tem excelentes relações com a Europa e EUA. Ulisses Correia e Silva garante que a África não vai ficar de fora do foco do novo Governo, que é um dos menos numerosos da história de Cabo Verde independente: tem 12 membros incluindo o primeiro-ministro, quatro independentes e três mulheres.

Kap Verde Praia Hauptstadt Panorama Stadtansicht

Vista da capital: Cidade da Praia cresceu durante a governação autárquica de Ulisses

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados