1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Sob pressão, Grace Mugabe evita aparecer em público

África do Sul ainda não decidiu se irá conceder imunidade diplomática à primeira-dama do Zimbabué, disse o Governo no sábado. Manifestantes protestaram em Pretória. Grace não foi vista depois de ser acusada de agressão.

Simbabwe Grace Mugabe Präsidentingattin (Getty Images/AFP/J. Njikizana)

A primeira-dama do Zimbabué, Grace Mugae

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da África do Sul, Nelson Kgwete, disse em uma mensagem de texto enviada à agência de notícias Associated Press, este sábado (19.08), que a África do Sul ainda estava considerando o pedido de imunidade diplomática solicitado pela primeira-dama do Zimbabué, Grace Mugabe - acusada de agredir uma modelo de 20 anos com um cabo de extensão elétrica, no fim de semana passado. "A decisão ainda não foi tomada", disse Kgwete.

A polícia sul-africana emitiu um "alerta vermelho" nas fronteiras para certificar-se de que Grace Mugabe não deixe o país sem ser detectada. Um mandado de prisão também está a ser considerado. A polícia diz ainda que a investigação está completa, mas precisa de uma decisão do Governo sobre o pedido de imunidade.

Também este sábado, alguns manifestantes protestaram, em Pretoria, contra o Presidente Robert Mugabe e sua esposa, dizendo que ela deveria ser processada.

A polícia sul-africana disse que Grace era esperada na reunião de dois dias da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) que teve início este sábado, mas primeira-dama do Zimbabué não compareceu ao evento, na capital da África do Sul. Robert Mugabe, no entanto, participou.

A esposa do Presidente Mugabe não foi vista desde que foi acusada de agressão.

Pretoria Südafrika ARCHIVBILD (picture alliance/augenklick)

Vista parcial de Pretória, capital da África do Sul

Falta de informação

Nem o Ministério das Relações Exteriores da África do Sul, nem a polícia disseram onde a primeira-dama do Zimbábue está, depois de ter sido divulgado que dois aviões estavam impedidos de deixar Joanesburgo e Harare, respectivamente.

Uma das aeronaves, de propriedade da Air Zimbabwe, a empresa usada regularmente pelo Presidente Mugabe, e outra da South African Airways (SAA).

O primeiro vôo não pôde decolar, na noite de sexta-feira (18.09) , do Aeroporto Internacional de Joanesburgo - pois faltava uma "permissão internacional para operar", de acordo com a autoridade da aviação civil da África do Sul.

O mesmo regulamento afetou a companhia aérea sul-africana, cujo vôo SA025 deveria deixar Harare na manhã deste sábado, mas foi mantido em solo antes de ser cancelado.

"Em mais de 20 anos de operações no Zimbabué, esta é a primeira vez que nos pedem este documento", disse o porta-voz da SAA, Tlali Tlali, à agência AFP.

Afrika Kuss und Küsse (Getty Images/AFP/J. Njikizana)

O Presidente e a primeira-dama do Zimbabué

Imunidade diplomática
A esposa de Mugabe reivindicou imunidade diplomática, depois de alegadamente agredir Gabriella Engels, há quase uma semana.
"Estamos aguardando o resultado da solicitação", disse um porta-voz da polícia.

Willie Spies, um dos advogados de Engels, disse que, se a imunidade diplomática fosse concedida, considerariam levar um pedido judicial urgente para interromper a decisão.

Grace Mugabe estava na África do Sul supostamente para tratar seu tornozelo, segundo informações de um jornal do Governo do Zimbabué. Mas ela teria dito à polícia que viajou ao país para participar da cimeira da SADC.

O Presidente Mugabe viajou para a África do Sul na quarta-feira (16.08). Um dia antes, Grace Mugabe falhou em participar em uma reunião acordada com a polícia sul-africana sobre o suposto ataque. Ela não foi vista desde o incidente – considerado uma dor de cabeça diplomática para a África do Sul e o Zimbábue, vizinhos com fortes laços políticos e econômicos.

Grace Mugabe regularmente fala em manifestações no Zimbábue e é vista como uma potencial sucessora de seu marido, cada vez mais frágil.

Leia mais