1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Rio 2016: Angola ainda por conquistar medalha nesta Paralimpíada

Desde a sua primeira participação dos Jogos Paralímpicos, em Atenas 2004, os angolanos sempre terminaram os Jogos com medalhas.

Depois de Cabo Verde ter conquistado a sua primeira medalha numa Paralimpíada, Angola, país que tem quatro atletas competindo nos Jogos Paralímpicos Rio 2016, ainda está em busca da sua primeira medalha no Rio de Janeiro. Desde a sua primeira participação dos Jogos Paralímpicos, em Atenas 2004, os angolanos sempre terminaram os Jogos com medalhas.

Nesta segunda-feira (12.09), Angola participou das provas da primeira fase dos 200 metros rasos feminino categoria T11 com a atleta Esperança Gicasso. A angolana terminou a prova com o tempo de 26.67 e não se qualificou para a semifinal.

No sábado (10.09), o atleta Octávio Angelo dos Santos participou das provas da primeira fase e semifinais dos 100 metros rasos masculino categoria T11. O angolano não conseguiu se classificar para a competição final que decorreu este domingo e teve no pódio o americano David Brown (ouro), o brasileiro Felipe Gomes (prata) e o namíbio Ananias Shikongo (bronze).

Angola compete ainda amanhã, dia 13 de setembro, nos 200 metros masculino categoria T11; na quinta-feira, dia 15, nos 1.500 metros feminino categoria T11 e nos 400 metros feminino, mesma categoria; na sexta, dia 16, nos 400 metros masculino categoria T11. Estas são provas da primeira fase dessas competições. Caso se classifiquem, os atletas competirão em dias diferentes nas fases semifinais e finais.

Paralympics Rio 2016 Finale 400 m Lauf der Männer

Gracelino Barbosa (primeiro à direita) comemora com o brasileiro Daniel Martins e o venezuelano Arturo Paiva na final dos 400 metros do atletismo. Prova aconteceu na sexta-feira, dia 9 de setembro

Cabo Verde

Depois do cabo-verdiano Gracelino Barbosa ter conquistado a primeira medalha do país numa Paralimpíada na última sexta-feira (09.09), o atleta Márcio Fernandes, outra aposta de Cabo Verde, competiu no lançamento de dardos. Márcio terminou a competição em oitava colocação e não conseguiu chegar ao pódio.

Com estas partipações, sendo uma histórica, Cabo Verde encerra a sua participação nos Jogos Paralímpicos Rio 2016.

Moçambique

A moçambicana Edmilsa Governo competiu na sexta-feira (09.09) na prova de 100 metros do atletismo categoria T12, mas não conseguiu se classificar para a final, que aconteceu no mesmo dia e teve no pódio a cubana Omara Durand (ouro), a alzerbaijana Elena Chebanu (prata) e a alemã Katrin Müller-Rottgardt (bronze).

Na próxima quinta-feira (15.09), a Edmilsa Governo competirá na primeira fase dos 400 metros do atletismo castegoria T12. Se classificada, a atleta buscará um lugar no pódio na prova final, que acontece no sábado (17.09).

Atrasados

A Guiné-Bissau não competiu na prova de 100 metros rasos masculino categoria T47 que aconteceu no último sábado. O atleta César Lopes Cardoso, que já competiu em Londres 2012, faria a sua primeira participação nesta edição dos Jogos Paralímpicos no último sábado (10.09), mas chegou atrasado ao local do evento. A informação foi confirmada pelo Comité Paralímpico Guineense.

Quem também não participou desta prova no sábado foi o atleta Alex dos Anjos, de São Tomé e Príncipe. O Comité Paralímpico São-tomense, por telefone, confirmou a informação, mas não soube explicar o motivo, apenas informou que o atleta chegou 30 minutos antes da competição e foi impedido de entrar no local do evento.

A prova dos 100 metros masculino teria sido a primeira participação de São Tomé e Príncipe numa edição dos Jogos Paralímpicos. Mesmo tendo perdido esta oportunidade, o país deverá fazer a sua estréia na próxima sexta-feira (16.09) na prova de 400 metros masculino categoria T47.

Leia mais