1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Presidente turco pede ajuda a Maputo para combater movimento de Fethullah Gülen

Recep Tayyip Erdogan pede o apoio de Moçambique para combater grupo de Fethullah Gülen, que terá redes no país africano. O pedido foi feito no âmbito de um encontro entre o Presidente turco e o homólogo moçambicano.

Afrikareise Erdogan in Mosambik (Getty Images/AFP/A. Barbier)

Presidentes da Turquia e de Moçambique, Recep Erdogan (esq.) e Filipe Nyusi

Recep Tayyip Erdogan afirmou esta terça-feira (24.01) que o movimento de Fethullah Gülen, o clérigo turco exilado nos Estados Unidos e que o Presidente turco defende que esteve ligado à tentativa de golpe de estado na Turquia, em julho do ano passado, "está presente em Moçambique”.

"Têm uma rede vasta de escolas e associações em várias partes do mundo e têm uma rede muito ampla também aqui em Moçambique”, afirmou o Presidente turco no final de um encontro com o homólogo moçambicano, Filipe Nyusi.

O Chefe de Estado turco descreve o movimento de Fethullah Gülen como grupo terrorista que está a desestabilizar o país. Assim, com vista à neutralização do grupo, Erdogan pede ajuda a Maputo: "Gostaríamos de contar com o vosso apoio para combater este grupo em todas as partes do mundo.”

Segundo ainda o líder turco, "o grupo infiltrou-se nas forças armadas, na polícia e em instituições do Estado da Turquia e está a levar a cabo agendas ocultas em várias partes do mundo”.

O Presidente moçambicano não fez qualquer referência ao assunto.

Turquia e Moçambique assinam seis acordos

Afrikareise Erdogan in Mosambik (picture-alliance/AP Photo/K. Ozer)

Recep Tayyip Erdogan, com a esposa, em Maputo

Esta deslocação a Maputo é descrita como um momento de viragem na relação entre os dois países. Em 2016, o comércio bilateral foi estimado em cerca de 100 milhões de dólares. Recep Tayyip Erdogan espera que o volume da cooperação comercial possa superar, em breve, os 250 milhões de dólares e, em uma fase seguinte, os 500 milhões de dólares.

Esta visita termina com a assinatura de seis acordos de cooperação, nomeadamente, para a supressão de vistos em passaportes diplomáticos e de serviços, a realização de consultas políticas, a cooperação económica e comercial e a promoção de investimentos. Os acordos visam ainda as áreas da cultura e turismo.

Para intensificar as relações entre os dois países, Erdogan propôs a abertura, em Maputo, de um escritório regional da agência de cooperação turca e de uma embaixada de Moçambique em Ancara.

O Presidente turco fez-se acompanhar de 150 empresários, que participaram no Fórum de Negócios Moçambique-Turquia.

Turquia é porta de entrada para o Médio Oriente

Frankreich Besuch Mosambik Präsident Filipe Nyusi (picture-alliance/Anadolu Agency/M. Yalcin)

Filipe Nyusi, Presidente de Moçambique

Do lado de Moçambique, o Presidente afirmou estar satisfeito com o estágio da cooperação entre a Maputo e Ancara, que regista um sentido "crescente”. Filipe Nyusi nota que as relações bilaterais mostram "sinais de firmeza e de crescimento”.

"Para nós, a Turquia não é só um país amigo ou irmão com quem temos relações diplomáticas, mas também é uma porta de entrada para o Médio Oriente com muita firmeza”, acrescentou.

A Turquia tem-se aproximado nos últimos anos de Moçambique, onde se tornou num dos dez maiores investidores estrangeiros.

Ouvir o áudio 03:05

Presidente turco pede ajuda a Maputo para combater movimento de Fethullah Güllen

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados