1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cabo Verde

Presidente português considera democracia cabo-verdiana "exemplo africano"

Presidente português terminou visita de Estado de três dias a Cabo Verde na ilha de São Vicente, terra de músicos como Cesária Évora, Bana e Tito Paris.

 Portugal- Präsidente Marcelo Rebelo de Sousa (Cabo Verde Regierung)

Presidente português no Mercado Municipal da Cidade da Praia

O Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, deslocou-se a Cabo Verde com um programa transversal, com iniciativas culturais, académicas e visitas a empresas, além da componente político-institucional e, por outro lado, "para sentir o afeto e a morabeza do povo cabo-verdiano" que retribuiu com abraços, beijos e carinho.

No Plateau, o centro histórico da capital do país, cidade da Praia, engraxou sapatos, tomou uma caipirinha à cabo-verdiana e comeu com as vendedoras do Mercado Municipal porque, segundo Rebelo de Sousa, "não vir ao mercado é não vir à Praia, aqui é que se vê a força dessa gente”.

Durante os últimos três dias, o Presidente português visitou três ilhas: Fogo, Santiago e São Vicente,

Precisamente, em Santiago, o Presidente de Portugal deslocou-se simbolicamente à Cidade Velha, lugar do primeiro povoamento português nos trópicos e antiga capital do arquipélago, classificada pela UNESCO como património da humanidade.

Kap Verde - Fortaleza Real de São Filipe (DW/J. Beck)

Cidade Velha - S.Tiago

"Agora que posso entrar à vontade na Cidade Velha e Nova com esta chave que me deram, sinto-me já um cidadão vosso. Vou usar esta chave, desde já, franqueando esta entrada em nome de todos os portugueses, porque esta cidade, como todo o Cabo Verde, está no coração de todos os portugueses”.

Homenagem à democracia cabo-verdiana

A nível político, Marcelo Rebelo de Sousa teve encontros com o seu homólogo cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca, e com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

Na Assembleia Nacional de Cabo Verde, durante uma sessão solene para o efeito, prestou homenagem à democracia cabo-verdiana, que considerou como um exemplo no contexto regional africano.

"Nesta casa da democracia não posso deixar de prestar também eu a minha homenagem à democracia cabo-verdiana pela saga da luta pela independência e pela sua consolidação, pela transição pacífica ao multipartidarismo, pelo respeito pela vontade popular em cada pleito, pelas sucessões pacíficas de governo, pelo papel essencial das oposições, pelo livre debate de ideias, pela convivência pacífica entre os diferentes órgãos de soberania, pelo respeito da separação de poderes e pela garantia dos direitos pessoais e políticos dos cidadãos”, afirmou.

Präsidenten Marcelo Rebelo de Sousa Jorge Carlos Fonseca (Cabo Verde Regierung)

Presidentes de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa (esq.) e de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca

Marcelo Rebelo de Sousa homenageou também a comunidade cabo-verdiana em Portugal pelo contributo que tem dado ao desenvolvimento do seu país.

"Agraciei no último fim-de-semana, em Lisboa, o cantor Tito Paris com o grau de comendador da Ordem de Mérito num gesto de reconhecimento pelo seu talento e pela sua obra, mas que não deixa de ser também um gesto simbólico de reconhecimento e de apreço pela comunidade cabo-verdiana toda ela residente em Portugal”.

Durante a visita, Marcelo Rebelo de Sousa ouviu o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, a anunciar que o Governo do arquipélago está a trabalhar no processo de isenção de vistos, a partir do mês de maio, para cidadãos da União Europeia e do Reino Unido que queiram visitar ou fazer negócios em Cabo Verde.

"Queremos tornar efetiva a medida de isenção de vistos para cidadãos da União Europeia e Inglaterra, tendo em conta que nós temos um número significativo de turistas ingleses. O objetivo é criarmos as condições para potenciarmos ainda mais o turismo e o investimento e eliminarmos a barreira que, normalmente, os vistos colocam na livre circulação”, afirmou.

Rebelo de Sousa no Senegal

Depois de Cabo Verde, o Presidente Português desloca-se ao Senegal para uma visita de dois dias.

Insel Sao Vicente, Kap Verde (PA/dpa)

Cidade do Mindelo - S.Vicente

O Senegal tem com Portugal relações seculares que datam do tempo dos Descobrimentos e do período colonial, no entanto, as trocas comerciais são reduzidas atualmente.

Em termos de comércio bilateral, no ano passado o Senegal foi o 62.º cliente de Portugal, com uma quota de 0,07% das exportações portuguesas, e o 75.º fornecedor, com uma quota de 0,04%, de acordo com dados da Agência para o Investimento e o Comércio Externo de Portugal (AICEP).

Independente desde 1960, o Senegal é um exemplo de estabilidade política em África e apontado como um caso de sucesso em termos de democratização.

É um dos 15 países-membros da CEDEAO (Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental) - que Cabo Verde e a Guiné-Bissau também integram - e um dos oito países que integram a UEMOA (União Económica e Monetária do Oeste Africano), da qual igualmente faz parte a Guiné-Bissau.

Ouvir o áudio 03:03

Presidente português considera democracia cabo-verdiana exemplo africano.

Após a instauração da democracia em Portugal, foram estabelecidas relações diplomáticas entre os dois países, em 02 setembro de 1974.

Situado na ponta mais ocidental do continente africano, a quatro horas de avião de Lisboa, o Senegal faz fronteira com a Guiné-Bissau e tem relações próximas com Cabo Verde, que fica a cerca de 600 quilómetros de distância.

Aproxima-se de Portugal também pela língua, sendo o país da África não lusófona com o maior número de estudantes de português, e com estatuto de observador da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

 

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados