1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Presidente da Gâmbia declara estado de emergência

A dois dias do fim do seu mandato Presidente cessante da Gâmbia Yahya Jammeh decreta o Estado de emergência e fala de uma "ingerência estrangeira sem precedentes".

Yahya Jammeh 02/2014 (picture-alliance/AP/Sunday Alamba)

Yahya Jammeh (foto de arquivo)

O Presidente cessante da Gâmbia Yahya Jammeh decretou esta terça-feira (17.01) o estado de emergência. Numa declaração televisiva, Jammeh evocou o considera ser "um nível de ingerência estrangeira excecional e sem precedentes" no processo eleitoral do país.

Jammeh fez este anúncio a dois dias da prevista tomada de posse do seu sucessor eleito, Adama Barrow, que está desde domingo no Senegal e a quem o chefe de Estado cessante, Yahya Jammeh, recusa ceder o poder.

"O mandato de Yahya Jammeh termina a 19 de janeiro e naquela data começará o mandato do Presidente eleito Adama Barrow. Ele vai ser investido e assumirá funções sem falhas", disse o seu porta-voz, Mai Fatty, que o acompanha em Dacar.

Gambia Wahlsieger Adam Barrow (Getty Images/AFP/M. Longari)

Adama Barrow venceu as últimas eleições presidenciais na Gâmbia contra Jammeh

 

Tomada de posse em Dacar ou Banjul?

O porta-voz recusou-se a precisar se a tomada de posse será realizada em Dacar ou na capital da Gâmbia, Banjul.

Recorde-se que a Gâmbia vive uma grave crise política depois de o Presidente cessante anunciar que não reconhece os resultados das eleições presidenciais, realizadas a 1 de dezembro, uma semana depois de ter felicitado Adama Barrow pela vitória no escrutínio.

Yahya Jammeh chegou ao poder na Gâmbia em 1994, através de um golpe de Estado, e desde então lidera aquele pequeno país anglófono com menos de dois milhões de habitantes, situada no meio da costa do Senegal. No passado sábado (14.01), uma pequena cimeira sobre a crise gambiana foi realizada em Bamako, Mali, à margem da conferência África - França, reunindo, nomeadamente, os Presidentes da Nigéria, Muhammadu Buhari, da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf, e o antigo chefe de Estado do Gana, John Dramani Mahama.

Fonte da presidência senegalesa confirmou domingo (15.01) que Adama Barrow foi para Dacar depois de um encontro com responsáveis da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO).

Gambia Staatskrise ECOWAS Treffen Yahya Jammeh empfängt Delegation West-Afrikanischer Führer (Reuters)

Presidente cessante da Gâmbia, Jammeh num encontro com uma delegação da CEDEAO (dezembro de 2016)

Comunidade Africana preocupada com a situação

A CEDEAO tentou em várias ocasiões convencer Yahya Jammeh a reconhecer a vitória de Adama Barrow e a ceder o poder e já ameaçou com uma intervenção militar caso insista em ficar na presidência do país. 

Também na sexta-feira (13.01), o representante da ONU para a África Ocidental fez saber que a CEDEAO pode pedir ao Conselho de Segurança das Nações Unidas o destacamento de tropas para a Gâmbia.

A União Africana disse por seu turno que vai deixar de reconhecer Yahya Jammeh como Presidente da Gâmbia a partir de quinta-feira, quando terminar o seu mandato.

O clima de incerteza na Gâmbia levou já milhares de gambianos a fugirem do país em direção ao Senegal e à Guiné-Bissau.

As pessoas que fugiram para o Senegal nas duas últimas semanas são "principalmente crianças", segundo o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados.

Leia mais