1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Província de Manica

Presidente da Assembleia Municipal de Sussundenga detido por roubar dinheiro público

O roubo deixou os deputados da Assembleia Municipal sem seus ordenados por quatro meses. As investigações continuam sem desfecho.

Mozambik, Stadt Sussudenga (B.Jequete)

Procuradoria Distrital de Sussundenga, em Manica

Em Sussundenga, na província de Manica, o presidente da Assembleia Municipal, Jacob Muiambo, e o respetivo chefe da contabilidade estão detidos desde setembro, por envolvimento em roubo financeiro da ordem de mais de um milhão e oitocentos mil meticais, o correspondente a quase 25 mil euros.

Segundo o procurador distrital de Sussundenga, Remigy Guiamba, ainda há mais um funcionário do setor da tesouraria, suspeito de envolvimento no caso, que está a ser investigado. Remigy Guiamba assegurou que a auditoria em curso poderá divulgar mais intervenientes. "Existe uma auditoria que está a decorrer. Acredito, inclusive, que já esteja em fase conclusiva dentro do Conselho Municipal. Mas também decorrem outras acções visando a recuperação de activos, daquilo tudo que eles foram adquirindo com esses valores; pelo menos, daquele montante que já se apurou: um milhão e oitocentos mil meticais", informou o procurador.

Ouvir o áudio 02:40

Presidente da Assembleia Municipal de Sussundenga detido por roubar dinheiro público

Ainda de acordo com Remigy Guiamba, a detenção dos indiciados vai acontecer na sequência dessa investigação, que teve início em agosto. "É no âmbito de um trabalho que a procuradoria vem desenvolvendo a investigação de desvio de fundos no Conselho Municipal. Encontramos lá algumas evidências. Se o presidente da Assembleia Municipal, Jacob Muiambo, estivesse em liberdade, ele poderia perturbar a instrução. Por isso, optamos por promover a detenção dele. O tribunal colaborou, e ele foi detido. Mas assim que recolhermos as evidências necessárias, o tribunal poderá restituir a sua liberdade", explicou Guiamba.

Mozambik, Remigy Guiamba, Bezirksstaatsanwalt (B.Jequete)

Procurador distrital do município de Sussundenga, Remigy Guiamba

Consequências do crime

O roubo nos cofres do município de Sussundenga deixou os deputados da Assembleia Municipal sem os seus ordenados. Palmira Chavier Francisco, deputada do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), disse que o município já esteve a dever quatro meses aos deputados. Entretanto, a informação apurada é de que três meses de salário já foram regularizados, faltando apenas o ordenado de setembro.

"Estávamos há quatro meses sem receber. Agora, eles pagaram os três meses devidos; só resta o salário de setembro. Eu disse a eles que, se não pagassem nossos subsídios, como opositora, levaria o caso ao tribunal administrativo. Caso contrário, não iríamos trabalhar. Se pensarmos em tudo que houve lá na assembleia...", falou a deputada do Movimento Democrático de Moçambique (MDM) em entrevista à DW África.

A fim de tentar acabar com os casos de corrupção que acontecem na cidade, o procurador distrital de Sussundenga, Remigy Guiamba, fez um apelo aos gestores públicos. Ele disse que é preciso cultivar o espírito de saber gerir o erário público. "Isso vai fazer o país crescer e todos nós também vamos crescer", completou.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados