Presidente alemão, Joachim Gauck, apela para maior engajamento internacional da Alemanha | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 23.02.2014
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Presidente alemão, Joachim Gauck, apela para maior engajamento internacional da Alemanha

Em entrevista exclusiva à DW, o Presidente alemão, Joachim Gauck, pede para que a Alemanha seja mais ativa na prevenção e resolução de crises internacionais – em último caso com recurso a armas.

default

Joachim Gauck em entrevista à Dagmar Engel da DW

A Alemanha tem que ter maior consciência da sua responsabilidade internacional, disse Joachim Gauck em entrevista exclusiva que concedeu à DW na sua residência oficial em Berlim, o Palácio Bellevue.

Gauck lembrou os tempos em que pessoalmente não quis ser identificado como alemão, devido aos crimes de guerra que a Alemanha cometeu durante a Segunda Guerra Mundial.

Mas a Alemanha mudou e é hoje um país responsável, enfatizou Gauck: "A Alemanha atual não tem nada a ver com a Alemanha entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial."

Segundo Gauck, já não há défices em relação à democracia em comparação com outros países europeus. Pelo contrário, o Estado de Direito, a paz social e a democracia alemães são considerados modelos no estrangeiro, afirma o Presidente.

Por causa destas mudanças, a Alemanha teve de assumir maior responsabilidade no Mundo. No caso do conflito entre o Governo e a oposição na Ucrânia, a Alemanha como o maior país da Europa não pode ficar numa posição passiva, segundo Gauck. Ele pede para que a Alemanha assuma com outros países europeus o papel de moderador nesta crise.

Bundespräsident Joachim Gauck mit Aung San Su Kyi 10.02.2014

A liberdade é uma constante no discurso de Gauck. Na foto um encontro com a nobel de paz Aung San Suu Kyi da Birmânia/Mianmar

Prevenção de crises

A prevenção de crises – principalmente no caso de conflitos étnicos – é um meio importante das relações internacionais, afirmou Gauck. A Alemanha tem de focar também as crises internacionais em outras partes do mundo, não só no leste da Europa como na Ucrânia, mas também na região do Mediterrâneo.

O papel da Alemanha nestas regiões do Mundo também poderia ser de mediador. Ser um país responsável a nível internacional também poderia significar maior engajamento da cooperacão alemã para prevenir mudanças climáticas ou para aumentar o uso de energias renováveis, opiniou o décimo primeiro Presidente da Alemanha que está em funções desde março de 2012.

Gauck não excluí o uso de armas

Em último caso, a responsabilidade internacional também pode significar o envio de soldados alemães, disse Joachim Gauck: "Esta Alemanha adulta, que é um garante para a estabilidade e a democracia, não se pode esconder!"

O uso de armas não é positivo, sublinhou Gauck. "Mas às vezes é pior quando os bons escondem as suas armas e os maus continuem a usar as suas armas." Na Bósnia ou no Ruanda ficou evidente para Gauck quais são as consequências da não-intervenção militar internacional. Intervir militarmente não significa demonstrar a potência militar alemã, mas sim solidariedade internacional, disse o Presidente da Alemanha na sua entrevista exclusiva à DW.

Nos últimos meses, o debate sobre um maior engajamento militar da Alemanha no estrangeiro intensificou-se devido a participação de soldados alemães nas intervenções francesas no Mali e na República Centro-Africana.

Migração em debate

Em relação à discussão sobre a imigração na Alemanha, Gauck acha que não há razões para ter medo da imigração. Antes pelo contrário, Gauck vê muitas razões pelas quais os alemães deveriam ficar contentes com o fluxo migratório ao seu país. Na prespetiva do Presidente da Alemanha, os novos cidadãos enriquecem a cultura do país e tornam o sistema de segurança social alemão mais sustentável, pois são mais jovens do que a população da Alemanha.

Gauck DW Interview 21.02.2014

Entrevista de Gauck à DW no Palácio Bellevue em Berlim

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados