1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Pelo menos 18 mortos em ataque no Burkina Faso

Vítimas eram de diferentes nacionalidades. Suspeita-se que extremistas islâmicos estejam por trás do ataque.

O Governo do Burkina Faso confirmou esta segunda-feira (14.08) que há vários menores de idade entre as 18 vítimas mortais do ataque a um café turco na capital Ouagadougou, em que outras dez pessoas ficaram feridas. O ataque ocorreu na noite deste domingo.

As vítimas são, "na sua maioria", mulheres e crianças, de várias nacionalidades, informou o ministro da Comunicação e porta-voz do Executivo, Remeus Dandjinou. O governante adiantou ainda que as autoridades estão a tentar identificar os corpos. Até agora, foi confirmada a morte de um cidadão francês e outro turco.

"Ataque terrorista"

Os dois atacantes abriram fogo por volta das 21h locais no café Aziz Istambul, situado numa avenida central da capital.

A operação das forças de segurança prolongou-se até de madrugada, quando a polícia matou os suspeitos. Vários agentes ficaram feridos durante a ação, segundo o ministro da Comunicação.

O ataque ainda não foi reivindicado, mas o Governo classifica-o como "terrorista", de acordo com Remeus Dandjinou.

Terroranschlag in Burkina Faso

Operação prolongou-se durante a madrugada e resultou na morte dos dois atacantes

O Executivo anunciou a abertura de uma investigação para esclarecer o sucedido. O Presidente Roch Marc Kaboré condenou veementemente o ataque, transmitindo as suas condolências às famílias das vítimas mortais e desejanda a rápida recuperação dos feridos.

"O valente povo do Burkina Faso fará uma resistência sem concessões ao terrorismo e aos inimigos do progresso da nossa pátria", declarou o chefe de Estado.

Investigação francesa

O Presidente francês Emmanuel Macron também condenou o ataque e saudou a "mobilização efetiva" das forças de segurança locais, acrescentando que falaria com o seu homólogo no final do dia "para avaliar a situação". As autoridades francesas lançaram igualmente uma investigação criminal, segundo uma fonte judicial.

Burkina Faso Tag nach dem Angriff in der Kwame Nkrumah Avenue in Ouagadougou

Esta segunda-feira, as forças de segurança interditaram a avenida onde está o café

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Turquia lamentou a morte do cidadão turco. "A Turquia vai continuar a apoiar e a mostrar solidariedade para o Burkina Faso que, lamentavelmente, se transformou num alvo do terrorismo internacional", ressaltou o comunicado de Ancara.

O Burkina Faso, como outros países africanos, tem sido alvo de frequentes ataques terroristas nos últimos anos. A maioria dos ataques ocorreu ao longo da fronteira com o Mali, onde também se regista a presença de radicais islâmicos há mais de uma década.

Em janeiro de 2016, um comando do grupo jihadista Al Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI) entrincheirou-se durante horas num hotel na capital do Burkina Faso, fazendo de refém mais de 150 pessoas e matando outras 26 de 18 nacionalidades distintas.

Segundo estatísticas oficiais, 60 pessoas morreram no país devido a ataques terroristas nos últimos dois anos.

Leia mais