Pela primeira vez Zimbabué celebra independência sem Mugabe | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 18.04.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Pela primeira vez Zimbabué celebra independência sem Mugabe

O Zimbabué celebra 38 anos de independência nesta quarta-feira (18.04.). É a primeira vez que a data é comemorada sem Robert Mugabe na liderança do país. Os novos tempos são de esperança no país.

default

Robert Mugabe, ex-Presidente do Zimbabué, pintado num mural de Bulawayo

Pela primeira vez desde o fim do regime de minoria branca, em 1980, o dia da independência não engloba os habituais discursos de Roberto Mugabe, de 94 anos de idade, contra os rivais do Ocidente e contra a oposição local.

O sucessor de Mugabe, que foi seu vice-Presidente, Emmerson Mnangagwa, tomou em novembro de 2017 o poder no país e assumiu a liderança da Frente Patriótica (ZANU-PF), o partido no poder. Mnangagwa prometeu a realização de eleições gerais livres e transparentes, para as quais convidou observadores internacionais ocidentais, bem como reformas económicas, sociais e na política interna do país.

Zimbabué em profunda crise

 Emmerson Mnangagwa

Emmerson Mnangagwa, Presidente do Zimbabué

No entanto, o país está mergulhado numa profunda crise económica, agravada por dificuldades de tesouraria, que está à beira da falência, e com um elevado nível de desemprego.

A saúde está igualmente profundamente afetada, com os principais hospitais encerrados depois do Governo de Mnangagwa ter despedido mais de 16.000 enfermeiras que entraram em greve para exigir melhores salários e condições de trabalho.

Processo de independência

Em 1964, a Rodésia do Sul, atual Zimbabué, recusou a independência concedida pelo Reino Unido. A Rodésia recusou argumentando que só aceitaria a libertação do jugo britânico se o Governo fosse eleito por sufrágio universal.

Farmer in Zimbabwe

Agricultores brancos expulsos das terras que exploravam

Em 1965, o primeiro-ministro do Governo da Rodésia do Sul, Ian Smith, declarou unilateralmente a independência e promulgou uma nova Constituição, através da qual se adotou o nome de República da Rodésia.

No entanto, a independência só seria reconhecida a 18 de abril de 1980, quando terminou o "reinado" de Ian Smith e subiu ao poder o líder independentista Robert Mugabe, que decretou nova alteração na designação do país, que passou a chamar-se Zimbabué.

Os primeiros anos de governação de Robert Mugabe foram de glória. Por exemplo, o Zimbabué era uma exemplo em termos agrícolas e foi considerado na altura o celeiro de África. Mas em 2002 o Presidente do país iniciou uma campanha contra os agricultores brancos que tinham grandes extensões de terra.

Robert Mugabe expulsou-os, comprando uma guerra com o ocidente que por sua vez isolou Harare. E assim começou o declinio de um Estado exemplar. E com a decadência do país veio também a queda de popularidade de Robert Mugabe.

 

Leia mais