1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

São Tomé e Príncipe

Patrice Trovoada regressa a São Tomé e Príncipe para disputar eleições

Patrice Trovoada volta a 3 de outubro ao país, após dois anos em Portugal, devido a perseguição política. Ação Democrática Independente anunciou a data de regresso do líder do partido no arranque da campanha eleitoral.

A data de regresso de Patrice Trovoada a São Tomé e Príncipe deixou de ser uma incógnita. No arranque da campanha eleitoral, que entrou esta segunda-feira (29.09) no terceiro dia, os santomenses ficaram a saber que o líder da Ação Democrática Independente (ADI) chegará ao país no dia 3 outubro para disputar as eleições legislativas, autárquicas e regionais, que se prevêem renhidas. As forças políticas concorrentes pedem, por isso, maioria absoluta, no escrutínio previsto para o dia 12 de outubro.

O anúncio do regresso de Patrice Trovoada, marcado para sexta-feira (3.10), às 12 horas locais, foi recebido com vários aplausos por uma multidão efusiva. Foi Levy Nazaré, secretário-geral da ADI, quem revelou a data de regresso do presidente do partido, que se encontra em Portugal há dois anos, por alegada perseguição política, após o seu Governo ter sido derrubado no Parlamento, através de uma moção de censura.

Patrice Trovoada in São Tomé e Príncipe

Apoiantes da ADI no comício de sábado (27.09) na Avenida Giovanni, no centro da capital do país

Antes das eleições, Patrice Trovoada foi intimado pelo Ministério Público no âmbito de uma queixa crime submetida pelo Governo, mas Levy Nazaré garante: “não há nenhuma acusação sobre ele. Não temos medo, sabemos que ele não vai ser preso”.

A ADI, principal força da oposição, pede agora maioria absoluta para governar São Tomé e Príncipe. Ekeneide dos Santos, membro da comissão política do partido, é presidente da Câmara Distrital de Água Grande e candidato à sua sucessão. “O poder de São Tomé e Príncipe depende de vocês, do vosso voto”, afirmou Ekeneide dos Santos perante a platéia do comício eleitoral da ADI, este sábado. “Há quem diga que o povo só manda nas urnas, vamos mostrá-lo no dia 12”, acrescentou.

D.Sebastião de São Tomé e Príncipe

Fradique de Menezes in São Tomé e Príncipe

O ex-Presidente da República, Fradique de Menezes (ao centro), é o candidato do MDFM/PL nas eleições são-tomenses

"Renascer Rumo à Vitória" é o slogan para estas eleições do MDFM/PL (Movimento Democrático Força da Mudança, Partido Liberal), de Fradique de Menezes. O ex-Presidente da República regressa à vida política e é o candidato do partido ao cargo de primeiro-ministro.

No primeiro dia de comício, Fradique de Menezes não poupou criticas a Patrice Trovoada, afirmando que “São Tomé e Príncipe está à espera de um D.Sebastião”, sublinhando as incertezas relativas à sua chegada, nos últimos meses. “Não precisamos dele”, garantiu, sendo recebido por gritos de euforia dos apoiantes do MDFM/PL.

O partido minimiza a capacidade mobilizadora da ADI. João Costa Alegre é membro da comissão política do Partido Liberal e compara o processo eleitoral a um “campeonato”. “Quando começa, há várias equipas e há equipas favoritas”, explica, lembrando que “nem todas ganham o campeonato”.

Ouvir o áudio 03:36

Patrice Trovoada regressa a São Tomé e Príncipe para disputar eleições

Já o MLSTP/PSD escolheu a zona norte da ilha de São Tomé, no distrito de Lobata - terra natal do seu candidato - para dar a ponta de pé de saída na campanha. Osvaldo Vaz diz que tem propostas concretas de governação, assumindo “a saúde e a educação como prioridades da política social” e “promover o desenvolvimento sustentado”, garantindo “uma melhor distribuição de rendimentos”. Por sua vez, o Partido da Convergência Democrática (PCD) organizou este domingo (28.09), na Praça Yon Gato, no coração da cidade de São Tomé, um comício em que António Dias, atual ministro da Agricultura, candidato ao cargo primeiro-ministro, disse que a sua política é lutar contra a pobreza, visando levar as ilhas do meio do mundo rumo ao desenvolvimento. O candidato do PCD garante que “é possível melhorar as condições da população, com trabalho e promessas realizáveis”.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados