1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cabo Verde

PAICV acusa MpD de "tentar confundir eleitores cabo-verdianos"

Os cabo-verdianos escolhem no dia 4 de setembro os seus órgãos autárquicos. 57 candidatos disputam a presidência dos 22 municípios do país, representando cinco partidos políticos e cinco grupos de independentes.

default

Cristina Fontes Lima, candidata (PAICV) à presidente da Câmara da Praia

Comícios, passeatas e contatos diretos com o eleitorado têm marcado a campanha para às eleições autárquicas de 4 de setembro em Cabo Verde. Na corrida, que já começou há uma semana, estão um total de 57 candidatos, sendo 22 do MpD - Movimento para a Democracia - (no poder), 21 do PAICV - Partido Africano da Independência de Cabo Verde (maior partido da oposição), cinco da UCID - União Cabo-Verdiana Independente e Democrática, dois do Partido Popular, um do Partido do Trabalho e Solidariedade e um do Partido Social Democrático.

Mais cinco independentes disputam as Câmaras Municipais do Maio, dos Mosteiros, São Filipe, Ribeira Brava e Boa Vista.

O presidente da UCID, António Monteiro, é um dos três candidatos à Câmara Municipal de São Vicente e está confiante: “Em São Vicente, o partido vai ganhar as eleições. A partir de 4 de setembro nós vamos ser o partido que irá governar a câmara da ilha.”

Afrika Kap Verde Antonio Monteiro UCID Vorsitzender

António Monteiro, presidente da UCID e candidato à presidente da Câmara de São Vicente

O MpD detém, neste momento, a presidência de 14 das 22 câmaras do país. O objetivo é aumentar este número. Por isso, o primeiro-ministro e líder do MpD, Ulisses Correia e Silva, tem aparecido em outdoors ao lado de todos os candidatos do partido. Na capital, Ulisses Correia e Silva propugna uma vitória retumbante: “Juntos vamos fazer da Praia uma cidade com o seu Estatuto Especial, vamos viabilizar a Polícia Municipal e videovigilância. Garanto-vos que a polícia estará mais próxima das comunidades, vamos ter mais iluminação pública.”

PAICV: esperanças depois da derrota das legislativas

Depois de 15 anos no poder, o PAICV teve de se conformar com o lugar da oposição no passado mês de março. A presidente do PAICV, Janira Hopffer Almada, acredita que os cabo-verdianos saberão distinguir as eleições legislativas das autárquicas: “Os cabo-verdianos são inteligentes e perspicazes, distinguem perfeitamente as eleições legislativas das municipais apesar de o MpD estar a tentar confundir a cabeça dos cabo-verdianos." E Almada esclarece que "o primeiro-ministro já foi escolhido e o Governo já foi investido. Não obstante a fotografia do primeiro-ministro aparecer ao lado de todos os candidatos ele não está a ser submetido ao voto popular.”

Kap Verde Wahlkampagne

Campanha eleitoral do MpD

Na capital, o PAICV aposta na antiga ministra-adjunta e da Saúde, Cristina Fontes Lima, para a câmara da capital do país. Nessa disputa o partido foi buscar os seus ativos, como foi o caso do antigo primeiro-ministro José Maria Neves, que apareceu na campanha a favor de Cristina Fontes Lima.

Tudo a postos, diz a CNE

Quanto aos preparativos, a presidente da Comissão Nacional de Eleições, Maria do Rosário Pereira, garante que está tudo a postos: “Os boletins de voto para os 22 municípios já foram confecionados, já temos também os demais materiais necessários para o funcionamento das mesas das assembleias de voto nomeadamente a tinta indelével e demais documentação”.

Estas serão as sétimas eleições autárquicas em Cabo Verde em 25 anos de municipalismo depois de 1991, 1996, 2000, 2004, 2008 e 2012.

Ouvir o áudio 02:58

PAICV acusa MpD de tentar confundir eleitores cabo-verdianos

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados