1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Organização alemã ajuda a combater o ébola

Há muito que a Alemanha aderiu à mobilização internacional para o combate ao ébola na África Ocidental. Um exemplo é o trabalho da organização alemã não-governamental de assistência médica, action medeor.

A action medeor e.V. financiou a construção de um centro de tratamento do ébola na Libéria, que entretanto já está a funcionar. Localizadas nos arredores da capital liberiana, as novas enfermarias de isolamento para pacientes acometidos pelo vírus do ébola consistem de duas tendas erguidas também graças ao empenho da médica alemã, Margaret Gieraths-Nimene. Esta profissional administra uma organização de caridade em Monróvia, agora empenhada na luta contra o surto.

As duas novas enfermarias abriram as suas portas ao público em 3 de novermbro. Poucos dias mais tarde, Gieraths-Nimene recebeu uma equipa alemã de pessoal médico e militar, enviada para a Libéria para apoiar a luta contra a infeção contagiosa, à qual mostrou as instalações. Enquanto isso, um dos membros da equipa local descreveu à DW no que consistem as suas atividades: "Sou o efermeiro Samson Kwenah. Cuido dos pacientes. Dou-lhes medicamentos, comida e até lhes mudo a roupa. É bom termos aqui estas tendas para os pacientes. São muito confortáveis e têm ar condicionado".

Ouvir o áudio 02:28

Organizaçã alemã ajuda a combater o ébola

Um sinal que o surto está ser levado a sério

As duas tendas neste novo centro de tratamento do ébola têm capacidade para acolher um total de 44 pacientes. Uma delas está reservada a mulheres e crianças, a outra aos homens. Margaret Gieraths-Nimene acredita que a instalação destas enfermarias é um sinal de que a luta contra o ébola está a ser levada a sério: "Claro que estou muito satisfeita, porque os pacientes precisam de um ambiete positivo para se curarem, sobretudo quando são acometidos pelo ébola, o que representa sempre uma estigmatização. Mas agpra têm a possibilidade de receber tratamento. Ainda em julho e agosto nem havia um centro para tratamentos, nem camas disponíveis nos hospitais. Agora há unidades suficientes, o que é excelente".

Mali Guinea Ebola Grenzkontrolle Grenze

O ébola continua a causar muitas mortes na África Ocidental

Os liberianos agradecem

Também o liberiano Konah Dolo está muito contente com a construção do novo centro de isolamento para pacientes do ébola: "É muito bem vindo. Esta é a reação ao problema pela qual os liberianos esperavam".

Embora os casos de ébola na Libéria pareçam estar a recuar, a intervenção da organização alemã action medeor pretende contribuir para erradicar o ébola neste país.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados