1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

O polémico livro que analisa a teia de ligações entre empresas angolanas e portuguesas

O livro "Os Donos Angolanos de Portugal” propõe-se a apresentar as principais redes da relação entre os capitais angolanos e os portugueses, identificando quais os principais protagonistas destes negócios bilaterais.

“Os Donos Angolanos de Portugal”, apresentado nesta terça-feira em Lisboa, tem como autores o jornalista Jorge Costa, o sociólogo João Teixeira Lopes e o economista e ex-líder do partido político Bloco de Esquerda, Francisco Louçã. Os três autores desenvolvem ao longo da obra uma profunda análise da rede de ligações entre empresas e personalidades angolanas e portuguesas. Mais concretamente, estudam o poder da burguesia angolana em Portugal e as suas relações com a burguesia portuguesa, considerando que a interligação entre os capitais portugueses e angolanos não tem paralelo na história do pós-colonialismo.

Wahlkampf Portugal

O economista Francisco Louçã é um dos autores da obra

Francisco Louçã conta que a obra reflete "a influência estratégica nas telecomunicações, na comunicação social, na banca e no petróleo do capital angolano". Propõem-se a compreender como o capital angolano foi aplicado ao longo dos últimos anos "nos investimentos de todo o grupo que está à volta do Presidente José Eduardo dos Santos".

O incentivo ao debate

O economista disse à DW África que o livro é o estudo mais completo até hoje realizado sobre a estrutura política e económica do capital angolano em Portugal. O estudo, sublinha, contribui para o conhecimento e debate público sobre uma matéria que é tratada com reticências, relativamente à forma como se processa a acumulação primitiva de riqueza.

Isabel dos Santos

Isabel dos Santos é apontada como uma das principais investidoras em ativos portugueses

Francisco Louçã destaca a "enorme riqueza angolana que é transferida para o estrangeiro, nomeadamente para Portugal, através de capitais apropriados pelo pequeno grupo, que em torno da Sonangol, em torno de José Eduardo dos Santos e de Isabel dos Santos investe em bens estratégicos na economia portuguesa que tem uma enorme influência política em Portugal". Louçã ressalva que "conhecermos isso é importante para Portugal e é importante também para Angola, para se saber onde está o dinheiro angolano".

O poder profundo do capital angolano em Portugal

Jorge Costa, outro dos autores, diz que "há um poder muito profundo do capital angolano em Portugal que resulta também da procura de capitais pelos grupos económicos portugueses descapitalizados", em consequência da crise económica e financeira. O jornalista considera haver um silenciamento das formas como se exerce esse poder e essa influência do regime e da pequena elite angolana sobre Portugal.

Hauptsitz der Firma Sonangol in Luanda in Angola

A empresa angolana Sonangol protagoniza grandes investimentos em negócios portugueses

"Tanto mais espantoso é esse silêncio, como a utilização de um país como placa giratória para o branqueamento de capitais, como a utilização que é feita pela elite angolana da praça financeira portuguesa". Para Jorge Costa esse conhecimento é preponderante para a economia portuguesa e mereceria uma atenção que segundo o sociólogo, "não tem".

A sala do FNAC no Chiado encheu-se de portugueses e angolanos interessados nesta temática, sobretudo pela reflexão que lança no exercício da cidadania, pelo seu peso na economia portuguesa e na extração da riqueza angolana. Nesta operação, refere ainda Jorge Costa, existe uma cumplicidade profunda de quase todos os partidos políticos e de todos os grandes grupos económicos portugueses. Dá o exemplo da banca.

A banca portuguesa em mãos angolanas

Ouvir o áudio 03:30

O polémico livro que analisa a teia de ligações entre empresas angolanas e portuguesas

"Os principais bancos privados portugueses estão hoje na mão de capital angolano, como a Isabel dos Santos ou Sonangol". Para Costa isso não é aceitável "nem na ótica do interesse popular angolano nem na ótica do interesse popular português".

No final da apresentação, antes da sessão de autógrafos, o jornalista Nicolau Santos, um dos conhecedores das relações luso-angolanas, surpreendeu a plateia com um poema dedicado ao empreendedorismo de Isabel dos Santos, filha do presidente de Angola, que começou a gerar riqueza vendendo ovos de galinha.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados