1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Nyusi terá autonomia no Governo com Guebuza como líder da FRELIMO?

Analistas em Moçambique consideram que Filipe Nyusi, novo chefe do Estado a partir desta quinta-feira, poderá enfrentar enormes desafios de governação, caso a FRELIMO mantenha Armando Guebuza como presidente do partido.

default

Filipe Nyussi (esq.) e Armando Guebuza a celebrar a escolha do primeiro como candidato às presidenciais de 2014

O Presidente cessante da República de Moçambique, Armando Guebuza, continuará a ser o detentor do poder decisório na governação de Filipe Nyusi, que toma posse esta quinta-feira (15.01), em Maputo, como chefe do Estado, segundo analistas.

O facto de Guebuza continuar a presidir à Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO), partido através do qual Nyusi foi eleito chefe do Estado, é a principal razão desta opinião.

O analista Dércio Alfazema diz que este cenário poderá interferir, por exemplo, na composição do novo Governo. “O conforto ou o desconforto que o Presidente da República poderá ter em relação à falta deste comando totalitário no seu próprio partido poderá ditar uma situação que pode levar o partido a repensar se vale a pena esperar um término do mandato do presidente Guebuza no partido ou se vale a pena convocar uma sessão extraordinária dentro da própria FRELIMO”, defende.

Hegemonia da “velha guarda”

Para o jornalista Fernando Lima, do semanário independente “Savana”, esta tendência visa essencialmente garantir a hegemonia da chamada “velha guarda” da FRELIMO, que poderá, no entanto, gerar discórdias com a nova geração do partido.

Ouvir o áudio 02:31

Nyusi terá autonomia no Governo com Guebuza como líder da FRELIMO?

“É a velha guarda que toma conta do partido e quer sangue novo para assumir a chefia do Estado e isto pode criar controvérsias”, afirma o analista, acrescentando que “há também uma grande expetativa em Moçambique de como a FRELIMO vai resolver este tipo de desafio.”

Fernando Lima acredita, por outro lado, que, à semelhança do que aconteceu no período em que Guebuza sucedeu a Joaquim Chissano, o partido no poder encontrará um meio-termo para que Filipe Nyusi dirija também o partido.

“Isto é um debate interno do partido FRELIMO, onde há uma corrente de opinião que é muito forte que defende que a breve trecho todas as estruturas do partido estarão em posição de alterar essa situação. Diria que num espaço de um a dois anos”, prevê o jornalista.

Esperança ofuscada?

Mosambik - Präsidentschaftskandidat Filipe Nyusi

Filipe Nyusi venceu as presidenciais de 2014 com 57,03% dos votos

Trata-se de uma esperança ofuscada por Damião José, porta-voz da FRELIMO, que garante nada poder alterar a decisão de manter Armando Guebuza na presidência do partido.

“Foi assim que o 10° Congresso do nosso partido decidiu e é assim que vamos continuar a cumprir com aquilo que foi a decisão deste órgão da FRELIMO”, sublinha Damião José.

Filipe Nyusi herda uma governação caracterizada por avanços e retrocessos nas esferas sociopolítica e económica. Daí as expectativas dos cidadãos em relação à forma como o novo Presidente da República irão gerir estes e outros desafios.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados