1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Novo primeiro-ministro da Guiné-Bissau promete ouvir partidos

Umaro Sissoco garantiu, este sábado (19.11), que vai falar com todos os partidos representados no Parlamento, a fim de pôr termo à crise política no país. Viajou para o Senegal com o Presidente guineense.

default

Novo primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco

Depois de empossado na noite de sexta-feira (18.11) pelo Presidente José Mário Vaz, o novo primeiro-ministro guineense garantiu que quer reunir-se com representantes dos partidos com assento na Assembleia Nacional Popular.

Na sua primeira declaração pública, Umaro Sissoco afirmou que tudo irá fazer "para acabar com as querelas" entre os políticos, a começar pelos cinco partidos representados no Parlamento.

São eles, o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), vencedor das últimas eleições gerais em 2014; o Partido da Renovação Social (PRS), em crispação com o PAIGC; Partido da Convergência Democrática (PCD); a União para a Mudança (UM); e o Partido Nova Democracia (PND).

Umaro Sissoco afirmou que espera "contar com todos os guineenses, estender a mão a todos" para promover o desenvolvimento do país que se encontra "atrasado em todos os domínios".

 "Devemos sentir vergonha quando vamos ao Senegal ou a Gâmbia e constatamos que estão a avançar em todos os sentidos: escolas, hospitais, infraestruturas, enquanto aqui não temos nada. Até para um simples tratamento médico temos que ir para Ziguinchor", cidade de Casamansa, sul do Senegal, lamentou o novo primeiro-ministro guineense. 

Viagem ao Senegal

O primeiro-ministro partiu, este sábado, para uma visita de trabalho ao Senegal, no mesmo avião que o presidente do Parlamento guineense. O objetivo é fazer o ponto de situação da crise no país ao Presidente senegalês, Macky Sall, justificou Umaro Sissoco.

Cipriano Cassamá

Presidente do Parlamento guineense, Cipriano Cassamá, afirma que vai colaborar com o novo primeiro-ministro

Entretanto, o presidente da Assembleia Nacional Popular, Cipriano Cassamá prometeu "total colaboração" do Parlamento com o novo primeiro-ministro "desde que tenha um programa virado para resolver os problemas do povo".

Em declarações aos jornalistas, Cipriano Cassamá, que é também membro do PAIGC, anunciou para próxima semana a retoma dos trabalhos do Parlamento, que está bloqueado há mais de seis meses devido às divergências entre as forças partidárias. 

Surge, entretanto, a questão sobre como irão decorrer os trabalhos no Parlamento, uma vez que o PAIGC já contestou a nomeação de Umaro Sissoco como novo primeiro-ministro.

O partido liderado por Domingos Simões Pereira declarou, em comunicado, que se "opõe frontalmente aos sinais evidentes de implantação da ditadura na Guiné-Bissau".
 

Leia mais