Nigéria participa pela primeira vez nos Jogos Olímpicos de Inverno | NOTÍCIAS | DW | 09.02.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Nigéria participa pela primeira vez nos Jogos Olímpicos de Inverno

As Olimpíadas começaram nesta sexta-feira (09.02.) na Coreia do Sul e a Nigéria participa com quatro atletas. Três vão concorrer na modalidade de bobsled (trenós de velocidade), enquanto uma quarta compete no skeleton.

default

Equipa de bobsled da Nigéria

A participação de países africanos nos Jogos Olímpicos de Inverno não é muito frequente. A Nigéria celebra a sua primeira participação nos Jogos Olímpicos de Inverno. As quatro atletas residem nos Estados Unidos da América e fizeram os seus treinos lá.

Pouco antes de partirem para a Coreia do Sul, fizeram uma visita à Nigéria, onde foram bem recebidas. Até agora, os nigerianos nunca se tinham interessado pelos Jogos Olímpicos de Inverno.

Mas muitos nigerianos como Jane Agbonifo dizem que vão acompanhar a competição deste ano por causa da participação nigeriana.

Ela considera que "tendo em conta o nível de cobertura que a imprensa está a fazer sobre as atletas, será bom acompanharmos os Jogos na Coreia do Sul para ver como se irão apresentar. A Nigéria já ganhou muitas medalhas nos Jogos Olímpicos de Verão."

Pyeongchang 2018 - Sportler aus Afrika Olympische Spiele

Simi Adeagbo na modalidade de skeleton

E Jane Agbonifo sonha: "Quem sabe se as meninas irão ajudar o país a conquistar a sua primeira medalha nos Jogos Olímpicos de Inverno?"

Quebrar barreiras é o mais importante

Mas as atletas procuram mais do que medalhas. Simi Adeagbo compete pela Nigéria no skeleton - modalidade em que os atletas descem por uma pista num trenó, deitados de barriga para baixo e cabeça para a frente.

E diz que é importante terem quebrado barreiras para serem as primeiras atletas a representar o continente nas Olimpíadas de Inverno: "Penso que estamos sempre a ser colocadas em destaque, sabemos que o que temos alcançado é monumental e é algo histórico. É mais do que uma medalha pode trazer. O que estamos a viver ficará para sempre e é isso que iremos levar connosco - com ou sem medalhas."

Em todos os lugares para onde vão, as atletas são recebidas com aplausos pela sua determinação. Sem apoio do Governo, decidiram angariar elas próprias dinheiro para os treinos e para comprar o equipamento.

As atletas até financiaram a criação de uma Federação de Bobsled e Skeleton na Nigéria. Elas acreditam que a Federeção irá ajudar a Nigéria a desenvolver talentos locais que futuramente irão participar nos Jogos Olímpicos de Inverno.

Ouvir o áudio 03:21

Nigéria participa pela primeira vez nos Jogos Olímpicos de Inverno

Modalidades de inverno na Nigéria, um desafio

A capitã da equipa de bobsled, Seun Adigun, está confiante que a recém-criada Federação de Bobsled e Skeleton irá promover as duas modalidades na Nigéria: "Queremos garantir que é deixado um legado para que a Federação de Bobsled e Skeleton tenha continuidade. E a continuação será um grande desafio. Mas já há coisas para ajudar na execução."

"Já estamos a levar treinadores da Nigéria para os Jogos Olímpicos de Inverno. Também já temos atletas novas e que já estão prontas para competir na próxima época. Há atletas interessados a surgir e também temos planos na Nigéria para atrair atletas locais para as modalidades", finaliza a capitã.

Adigun e as suas colegas acreditam que mesmo com fundos limitados e equipamento inadequado, o sonho de ter atletas locais de bobsled e skeleton pode ser alcançado com determinação - a mesma que elas tiveram para se qualificarem para os Jogos Olímpicos de Inverno.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados