1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Nigéria: Buhari reaparece em público, mas preocupações com a sua saúde continuam

O Presidente Muhammad Buhari fez sua primeira aparição pública em semanas, em meio a crescente preocupação com seu estado de saúde e questionamentos se ele deveria estar no poder.

O Presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, foi visto nas orações de sexta-feira (05.05) numa mesquita na vila presidencial, em Abuja. Esta foi a primeira vez em semanas que ele foi visto em público.

No início deste ano, Buhari passou quase dois meses em tratamento, em Londres, por causa de uma doença não revelada. Ele voltou ao trabalho em meados de março, mas agora muitas vezes trabalha de casa, de acordo com seus assessores.

O Ministro de Estado da Aviação da Nigéria, Hadi Sirika, tentou minimizar a preocupação pública, dizendo que Buhari decidiu tirar um descanso dos deveres oficiais, conforme o conselho dos seus médicos.

"O presidente está em forma", disse Sirika à DW. "Ele mesmo disse isso quando voltou de um check-up médico em Londres, que ele vai descansar por algum tempo e vai voltar para mais check-ups".

A primeira-dama, Aisha Buhari, escreveu no seu perfil do Twitter que a saúde de seu marido "não é tão ruim quanto está sendo percebida".

Um vídeo postado no Twitter pelo assessor presidencial, Bashir Ahmad, mostrou Buhari vestido de branco, cumprimentado outros fiéis na mesquita e acenando após as orações.

Rumores sobre a saúde do Presidente deram origem à incerteza considerável no país, com algumas pessoas comparando a situação atual com o drama que caracterizou o fim da presidência de Umaru Yar'Adua. O Presidente Yar'Adua morreu no cargo em 2010. Sua morte provocou lutas internas políticas antes da tomada de posse do Presidente Goodluck Jonathan, predecessor de Buhari.

Apoio ao Presidente

Buhari deveria se encontrar com seu homólogo do Níger, Mahamadou Issoufou, na sexta-feira, mas a reunião foi cancelada, disse o gabinete de Buhari num comunicado um dia antes. "O reagendamento deste compromisso é um pedido do Presidente Issoufou que tem outro compromisso doméstico", disse o porta-voz da presidência, Femi Adesina.

Enquanto isso, uma organização não-governamental, o Centro de Defesa Legislativa da Sociedade Civil (CISLAC, sigla em inglês) aconselhou o Presidente a descansar.

"Entendemos que a condição de saúde do Presidente está se deteriorando cada vez mais", disse o diretor da CISLAC, Auwal Musa Rafsanjani. "Pensamos que é bom para ele ter mais descanso e também cuidar bem de sua condição de saúde para que possa continuar com seus deveres presidenciais", Rafsanjani acrescentou.

A doença de Buhari ainda está sendo tratada como um assunto privado, embora ele ocupe o cargo público mais alto do país. Algumas pessoas suspeitam que ele chegou ao poder sabendo muito bem que não estava apto o suficiente para fazer o trabalho.

No entanto, o analista político Mallam Abdulrahman afirmou que não há necessidade de informar os nigerianos sobre o estado de saúde de seu Presidente. "Os nigerianos votaram para ele ficar no cargo. Eles o amam e confiam nele", disse Abdulrahman a DW. Ele, porém, aconselhou Buhari a procurar atendimento médico. "Nós precisamos dele vivo e apto".

A Nigéria continua a lidar com crises que incluem ataques do grupo extremista Boko Haram, milhões enfrentam fome no nordeste do país e uma economia que no ano passado se contraiu pela primeira vez em um quarto de século.

Al-Amin Mohammad contribuiu para esta reportagem.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados