1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Nigéria: 21 meninas liberadas pelo grupo extremista Boko Haram

Governo nigeriano celebra liberação e diz que continuará as negocições com o grupo extremista.

O grupo extremista Boko Haram libertou nesta quinta-feira (13.10.) vinte e uma adolescentes de Chibok. As jovens, que foram raptadas há mais de dois anos, já foram encaminhadas para a capital Abuja. Ainda na Nigéria, hoje foram confirmados pelo menos vinte e dois mortos no conflito ocorrido esta quarta-feira (13.10.) entre autoridades policiais e muçulmanos xiitas, em três cidades do norte do país.

Segundo a Presidência da Nigéria, a libertação das adolescentes ocorreu graças às negociações entre o Governo do país e o grupo extremista Boko Haram. Ainda segundo a Presidência, as negociações contou com apoio da Cruz Vermelha e do Governo da Suíça. 

As vinte e uma jovens de Chibok foram liberadas em Banki, no nordeste da Nigéria, e seguiram sob custódia dos Serviços de Sergurança do Estado para Abuja, onde seriam rececionadas pelas autoridades do país, conforme informou mais cedo o porta-voz da Presidência, Femi Adesina.

"Sim, vinte e uma delas foram libertadas e agora elas estão a caminho de Abuja. O vice-presidente irá representar o Presidente na cerimónia oficial, na chegada das jovens. Claro que o Governo está satisfeito. Esta é uma das nossas preocupações. Este é o começo do que deve ser alcançado por nós”, disse.

O Presidente nigeriano, Mohammadu Buhari, a caminho da Alemanha, celebrou a notícia, segundo o porta-voz.

Famílias pedem que negociações continuem

Ouvir o áudio 02:38

Nigéria: 21 meninas liberadas pelo grupo extremista Boko Haram

O  Boko Haram raptou 276 meninas de uma escola secundária de Chibok em abril de 2014. Cinquenta e sete delas conseguiram fugir pouco depois. No início deste ano, um vídeo enviado ao Governo da Nigéria comprovou que as 219 meninas que permaneceram aprisionadas ainda estavam vivas no cativerio.

Desde 2014, as famílias das adolescentes pedem que o Governo negocie a libertação. O pai de uma das meninas, Malam Goni, fez um apelo nesta quinta, depois que recebeu a notícia da libertação das vinte e uma estudantes.

"Mesmo se for uma menina que esteja livre, damos graças a Deus. Eu entrego tudo na mão de Deus. Agora esperamos que as nossas filhos estejam voltando para casa. Se aquelas que estão livres nos confirmar que as outras estão vivas ou mortas, ficaremos mais aliviados, pois saberemos. Estamos exortando o Governo a fazer mais para resgatar o resto”.

Polícia entra em confronto com muçulmanos Xiitas

Nesta quarta-feira, em três cidades no norte da Nigéria, membros do grupo islâmico xiita entraram em conflito com a Polícia durante manifestações religiosas. Nesta quinta-feria, o Movimento Islâmico da Nigéria confirmou que vinte e duas pessoas foram mortas. A polícia, no entanto, diz que foi atacada pelos participantes das das procissões religiosas.

Em dezembro do ano passado, 350 muçulmanos xiitas foram mortos na cidade de Zaria, a 270 quilómetros da capital Abuja. A Amnistia Internacional acusa as Forças Armadas do país por este massacre.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados