1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Na reta final da campanha, JES reitera apoio pessoal ao "candidado do MPLA"

Presidente de Angola participou pela primeira vez da campanha, ao lado de João Lourenço, no último evento eleitoral de massa do MPLA, este sábado. Em aparição curta, pediu voto no partido no poder.

Angola MPLA Wahlkampagne Jose Eduardo dos Santo (DW/ A. Cascais)

José Eduardo dos Santos no comício do MPLA no Camama

Este sábado (19.08), José Eduardo dos Santos apareceu, pela primeira vez em campanha, ao lado do cabeça-de-lista do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) às eleições gerais angolanas da próxima quarta-feira (23.08), para transmitir a sua convicção na sucessão de João Lourenço na liderança de Angola.

Ambos entraram lado a lado no comício realizado no Camama, arredores de Luanda, que encerra os grandes atos de massa da campanha eleitoral do MPLA.

Numa intervenção de pouco mais de dez minutos, José Eduardo dos Santos, chefe de Estado e presidente do partido no poder, justificou a presença com o objetivo de "reiterar o apoio pessoal ao nosso candidato [do MPLA]".

Angola MPLA Wahlkampagne Jose Eduardo dos Santo (DW/ A. Cascais)

Público do comício do MPLA no Camama

"Não tenho dúvidas que o MPLA vai ganhar as eleições gerais e o nosso candidato será eleito o próximo Presidente da República", disse José Eduardo dos Santos, apelando ao voto na sua formação política.

Dos Santos não permaneceu na tribuna para assistir ao discurso que se seguiu, do cabeça-de-lista e candidato à sua sucessão.

"É grande a responsabilidade que me colocam sobre os ombros", disse, por seu turno, João Lourenço, em sua intervenção, perante dezenas de milhares de pessoas.

"Isto demonstra que o capitão da equipa nunca esteve ausente, comandou-a sempre e daí a razão do retumbante êxito que esta campanha conhece", acrescentou, referindo-se à presença de José Eduardo dos Santos no comício.

Promessas na tribuna

João Lourenço que poderá substituir dos Santos caso o MPLA vença as eleições, falou da necessidade das autarquias em Angola. O candidato do MPLA disse que a implementação não vai abranger, na primeira fase, todas as províncias.

Ele prometeu também garantir a inserção política, económica e social do cidadão angolano.

João Lourenço disse ainda que, com o poder local, o seu Governo irá resolver os problemas básicos do povo.

Angola - Poster Wahllokal 1266 in den allgemeinen Wahlen (B. Ndomba)

Angola realiza eleições gerais na próxima quarta-feira (23.08)

"Acreditamos que, com as autarquias locais, vamos conseguir resolver todos os problemas de difícil solução do modelo actual de governação. Vamos levar a governação mais próximo do cidadão", afirmou Lourenço, que alega tornar realidade a questão do poder autárquico - que a oposição exige há muitos anos.

João Lourenço fez estas declarações em virtude das assimetrias regionais que vive o país, bem como das dificuldades que as autoridades encontram para governar a capital, Luanda.

O candidato do MPLA disse ainda que, se for eleito Presidente da República, o Governo que será formado vai criar condições económicas que vão desenvolver os sectores da agricultura e do turismo.

"No dia 23, só vai dar João Lourenço, só vai dar MPLA", finalizou João Lourenço que almeja vencer as eleições com maioria absoluta com "dois terços" dos votos.

Neste último dia da campanha eleitoral do MPLA, para além da presença de José Eduardo dos Santos, estavam também no comício realizado na zona do Camama, município do Cacuaco, o ex-primeiro-ministro angolano, Marcelino Moco e também o deputado e ex-dirigente da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), Fernando Heitor, que nesta semana anunciou a sua saída no Galo Negro.

Angola MPLA Wahlkampagne Jose Eduardo dos Santo (DW/ A. Cascais)

João Lourenço, cabeça-de-lista do MPLA

Ausência de JES na campanha eleitoral

João Lourenço foi confirmado como o sucessor de José Eduardo dos Santos e candidato cabeça-de-lista do MPLA para as eleições gerais de 23 de agosto no princípio de fevereiro deste ano. O anúncio foi feito depois da  terceira sessão ordinária do Comité Central do MPLA, que decorreu em Luanda.

Durante os seis meses em que João Lourenço foi apresentado aos militantes e eleitores, o candidato esteve nas 18 províncias de Angola, onde fez muitas promessas que constam no plano de governação do partido.

O combate à corrupção esteve em alta em quase todos os discursos de João Lourenço. 

Na pré-campanha que João Lourenço iniciou ainda em fevereiro e com ponto de partida no Lubango, província da Huíla, José Eduardo dos Santos não marcou presença em qualquer ato com o candidato do MPLA, o mesmo acontecendo na campanha eleitoral que já decorre desde 23 de julho, com exceção do comício deste sábado.

Desde 03 de fevereiro, José Eduardo dos Santos não mais se referiu, publicamente e de qualquer forma a João Lourenço.

A única exceção aconteceu a 25 de julho, apenas para o chefe de Estado conceder, por despacho, dispensa de serviço, enquanto ministros e candidatos a Presidente e vice-Presidente e conforme decorre da lei eleitoral, a João Lourenço e Bornito de Sousa.

Leia mais