1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Mugabe renuncia como Presidente do Zimbabué

Robert Mugabe renunciou como Presidente do Zimbabué após 37 anos no poder, anunciou nesta terça-feira (21.11) o presidente da câmara dos deputados do país, Jacob Mudenda.

Robert Mugabe já não é o Presidente do Zimbabué. O chefe de Estado de 93 anos, no poder desde 1980, renunciou ao cargo esta terça-feira. O anúncio foi feito pelo presidente do Parlamento, Jacob Mudenda, que leu a carta de demissão de Mugabe durante o debate de uma moção de censura contra o agora ex-governante.

"Eu, Robert Gabriel Mugabe (...) apresento formalmente a minha demissão de Presidente da República do Zimbabué, com efeitos imediatos", escreveu Mugabe na carta lida por Jacob Mudenda. "Demito-me voluntariamente. (...) Esta decisão foi motivada pelo (...) meu desejo de garantir uma transição do poder sem problemas, pacífica e não violenta", explicou ainda Mugabe. 

As palavras foram recebidas com aplausos e vivas por parte dos deputados, que se encontravam reunidos desde o início da tarde para iniciar o processo de destituição do Presidente. “É um acontecimento histórico", disse um dos membros do Parlamento ouvido pela Associated Press.

Simbabwe Parlament | Bekanntgabe Rücktritt Robert Mugabe

Jacob Mudenda durante a leitura da carta de demissão de Robert Mugabe

"Temos muito a aprender com isto. O Presidente está preocupado com a paz e a segurança, os zimbabueanos estão preocupados com a paz e a segurança, todos queremos a mesma coisa: avançar e fazer do Zimbabué um grande país", acrescentou.

“Não me surpreende. Isto já se esperava há duas semanas. Foi o último prego no caixão. Ele fez muito por este país, merece descansar. É com certeza uma nova era para o Zimbabué”, disse outro deputado à agência de notícias.

População festeja na rua

A população recebeu com euforia o anúncio da resignação do Presidente, após quase quatro décadas na liderança desta nação africana.  

Apesar de o país permanecer numa grave crise política desde a passada semana, quando os militares se rebelaram contra o chefe de Estado, a notícia chegou de surpresa. Gritos de alegria e buzinas de automóvel inundaram a capital, enquanto as pessoas se abraçavam espontaneamente na rua, segundo relatos das agências noticiosas internacionais.

Simbabwe Rücktritt Robert Mugabe | Feier im Parlament

Deputados receberam anúncio em euforia

Bandeiras do Zimbabué e gritos de "descanse em paz, descanse em paz" acompanhavam danças e cânticos, enquanto o sol descia sobra a capital zimbabueana. 

Outras imagens mostravam crianças junto a tanques, e dançando ao som da música que ecoa pelas ruas da capital, Harare. Muitos populares também celebravam a intervenção do exército, que acelerou o afastamento de Mugabe.  

Mnangagwa a Presidente?

Robert Mugabe vinha recusando todos os apelos nacionais e internacionais para abandonar o poder, mesmo depois de ter perdido a liderança do seu partido, a União Nacional Africana do Zimbabwe -- Frente Patriótica (ZANU-FP).

A atual crise política no Zimbabué começou quando os militares tomaram o controlo do país, depois de, na semana anterior, Mugabe, de 93 anos, ter despedido o seu vice-Presidente, Emmerson Mnangagwa. O ex-número dois assumiu o cargo de presidente do ZANU-PF e foi nomeado candidato às eleições presidenciais de 2018.

Ouvir o áudio 03:43

Mugabe renuncia como Presidente do Zimbabué

Segundo o líder da bancada parlamentar do partido no poder, Lovemore Matuke, Mnangagwa – que abandonou o país após a sua demissão – vai assumir a liderança do Zimbabué no prazo de 48 horas. Por sua vez, o presidente do Parlamento afirmou apenas que amanhã, quarta-feira, será nomeado o novo Presidente do país.

Futuro incerto

Quanto a Robert Mugabe, o futuro ainda é incerto, após a demissão. “É surpreendente, mas muitos zimbabueanos dizem ‘ele tem 93 anos, está nos últimos dias da sua vida, deixemos estar o passado’. Depois, há outros que consideram que Mugabe tem de sofrer as consequências, mas não querem arrastar um homem velho para o TPI – ‘deixem-no descansar em algum lado, mas não o queremos aqui no Zimbabué, porque ele lembra-nos aquilo que passámos’”, explica Joy Mabenge, coordenador regional para a África Austral da Coligação Crise no Zimbabué.

Entretanto, os Presidentes de Angola, João Lourenço, e da África do Sul, Jacob Zuma, anunciaram esta terça-feira – ainda antes da demissão de Mugabe - uma viagem amanhã, quarta-feira, até Harare, para avaliar a situação política no Zimbabué, como dirigentes da SADC.


 

 

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados