1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cabo Verde

MpD promete criar 45 mil novos empregos em Cabo Verde

De olhos postos nas legislativas de 20 de março, o líder do Movimento para a Democracia, Ulisses Correia e Silva, promete crescimento económico, redução da pobreza e equilíbrio de desenvolvimento em todas as ilhas.

Ulisses Correia e Silva, o presidente do Movimento para a Democracia (MpD), acredita que é desta que o partido vai regressar ao poder em Cabo Verde, depois de 15 anos na oposição. Se for eleito para a liderança do Governo, fica o compromisso de criar 45 mil novos empregos.

“Temos 130 mil cabo-verdianos no desemprego e subemprego. Estou a falar de 45 mil empregos sustentáveis nos primeiros cinco anos”, afirma o candidato do MpD a primeiro-ministro. Para concretizar este compromisso, Ulisses Correia e Silva promete colocar Cabo Verde na rota do crescimento económico.

“A nossa meta é um crescimento médio anual de 7%, que é o mínimo que o país deverá crescer para poder gerar emprego e emprego de qualidade de uma forma sustentada e reduzir a pobreza”. E isto, explica o líder do Movimento para a Democracia, “pressupõe um ambiente de negócios favorável”.

Travar o endividamento e modernizar o financiamento

Com a melhoria do ambiente de negócios cabo-verdiano em vista, Ulisses Correia e Silva promete “menos impostos, uma burocracia menos pesada e menos hostil ao investimento privado”. Compromissos que passam ainda por “estancar o endividamento externo e interno do país, que cria dificuldades às empresas ao nível do financiamento”, diz o candidato a primeiro-ministro.

Ouvir o áudio 03:18

MpD promete criar 45 mil novos empregos em Cabo Verde

A meta do MpD é reduzir a taxa de desemprego para 10 por cento em 2021 e para 5 por cento até 2026. Atualmente a taxa é de 15,8 por cento. Para diminuir este número, o partido promete criar um banco público, “com repartição de riscos entre os privados e o Estado, destinado ao financiamento das atividades das pequenas e médias empresas”.

Ulisses Correia e Silva considera que “o sistema de financiamento tradicional não dá respostas às necessidades de financiamento das empresas no estado atual, porque os riscos estão muito elevados devido ao forte endividamento do Estado”.

Uma "economia do conhecimento"

O Programa de Governo do MpD inclui 10 compromissos para a década que abrangem também uma educação de excelência. O líder do partido fala numa “economia do conhecimento” que prevê a criação de condições para que os jovens cabo-verdianos tenham acesso à educação e sejam competitivos a nível mundial. “Não podemos gerir a economia a curto prazo”, explica Ulisses Correia e Silva, acrescentando que o MpD quer “preparar a expansão futura”.

O candidato a primeiro-ministro de Cabo Verde quer que os jovens do país tenham “domínio de línguas como inglês e francês, de forma fluente, tecnologia, ciência e matemática”. “Não formar por formar, mas formar para o emprego”, conclui Ulisses Correia e Silva.

Ulisses Correia e Silva

Ulisses Correia e Silva e apoiantes do Movimento para a Democracia

Mais segurança para os cabo-verdianos e a despartidarização da Administração Pública são outras promessas do MpD. O candidato do partido a primeiro-ministro considera que é necessário “dignificar a função do Estado”, acabando com a “promiscuidade” entre o Estado e o partido.

José Ulisses Correia e Silva nasceu a 4 de junho de 1962, é licenciado em Organização e Gestão de Empresas pelo Instituto Superior de Economia da Universidade Técnica de Lisboa. É quadro do Banco de Cabo Verde (BCV), tendo sido diretor do Departamento de Administração antes de ser chamado para o Governo em 1992, como secretário de Estado das Finanças. Mais tarde, foi promovido a ministro das Finanças - cargo que desempenhou até 2001.

Antes de ser eleito presidente da Câmara Municipal da Praia em 2008, foi líder parlamentar do Movimento para a Democracia. É presidente do MpD desde junho de 2013.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados