1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Moçambique: Tubarões voltam a atacar na baía de Inhambane

Fundação Megafauna implementa ações para proteger espécies marinhas. Maior destaque para tubarões, que nos últimos meses têm atacado pescadores na baía de Inhambane. Situação está a tirar a tranquilidade das pessoas.

Todos os anos acontecem vários ataques de tubarão ao longo da costa da província de Inhambane, sul de Moçambique. Normalmente atuam nos bancos de areia onde costumam alimentar-se, resultando em dezenas de vítimas mortais.

Para evitar estes ataques, Andrea Marshall, coordenadora da fundação Megafauna, vocacionada para a proteção de espécies marinhas, sedeada na praia do Tofo, em declarações à DW Africa, disse que o trabalho de sensibilização já esta a ser feito junto das comunidades.

Ensinam algumas regras, nomeadamente evitar entrar na água ao entardecer ou à noite, quando a maioria dos tubarões está à procura de alimento, não entrar no mar se a pessoa estiver a sangrar, porque com o olfato muito apurado o tubarão percebe a presença de sangue a centenas de metros de distância e, por último, não usar roupa brilhante, porque a luz refletida faz lembrar as escamas de peixe.

Inhambane Mosambik - Andrea Marshall, Koordenator von NGO Megafauna (DW/L. da Conceição)

Andrea Marshall

Evitar mortes é o objetivo, de acordo com Marshal: "Nós estamos a trabalhar com as comunidades no sentido de sensibilizar as pessoas para respeitarem algumas regras que possam lhes proteger dos ataques de tubarões e o número pode reduzir."

Fenómeno antigo

A coordenadora recorda também que o conflito entre tubarões e seres humanos na baía de Inhambane não é de hoje. Mas devido ao aumento da densidade populacional nos últimos anos os ataques aumentaram.

Andrea Marshall diz que "as pessoas quando entram no mar não estão cientes que existe animais a viver lá. É diferente da floresta onde encontramos animais a brincar. No mar as pessoas devem ter muito cuidado e frequentar locais que já conhecem, mas também é sempre melhor estarem em companhia".

A coordenadora da fundação Megafauna disse em entrevista à DW África que a insuficiência de meios, nomeadamente financeiros, tem dificultado um trabalho de investigação e proteção das espécies marinhas em extinção na costa moçambicana.

Ouvir o áudio 02:56

Moçambique: Tubarões voltam a atacar na baia de Inhambane

E ela questiona: "Este é o tempo de reprodução ou não de tubarões? Infelizmente não podemos responder porque esta organização é nova e começou a operar recentemente. Podíamos fazer mais estudos profundos sobre os tubarões, mas temos insuficiência de fundos".
 

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados