1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Moçambique: Escultores de Gaza pedem oportunidades para expor obras

Na província do sul de Moçambique, os escultores dizem-se esquecidos pelo Governo que, afirmam, só se lembra dos artistas em eventos do seu interesse.

Mosambik (DW/Carlos Afonso Matsinhe)

Galeria da Casa Provincial da Cultura de Gaza

O escultor Izidro Banze, de 40 anos,  já conta 17 anos de carreira no posto administrativo de Chidenguele, a 70 quilómetros da capital  provincial, Xai-Xai, no sul de Moçambique. Mesmo sem o apoio do Governo e sem oportunidades para expôr as suas obras de arte em madeira, à sua maneira, afirma, tem estado a retratar o dia-a-dia e a história do povo moçambicano.

Faz o trabalho  junto às bermas da Estrada Nacional 1,  onde funciona a  sua galeria. "Até agora, o Governo não me apoiou. Mas conhecem-me, porque quando me querem usar, isto é, quando chega o Presidente e durante os festivais, vêm-me buscar a Chidenguele e levam-me para Xai-xai", diz Izidro Banze. 

"O único apoio que reconheço é a alimentação que  me oferecem. Mas nunca aconteceu receber outra ajuda para o meu trabalho ir em frente".

Mosambik Bildhauer in Gaza

Izidro Banze

Izidro gostaria que o Governo o aproveitasse para a transmissão de conhecimento artístico aos mais novos. "Na minha  zona, em Chidenguele, já ensinei pessoas que hoje, com a sua produção artítica, sustentam as famílias. Se o Governo me apoiar, tenho força para ensinar milhares de artesãos do futuro", garante.

Problemas logísticos

Na segunda quinzena de julho, a cidade de Xai-Xai acolhe o 13º Festival Nacional dos Jogos Escolares. O evento, visto por Izidro como uma oportunidade de exposição, juntará mais de dois mil atletas, técnicos e dirigentes desportivos do sector da Educação e Desenvolvimento Humano do país.

No entanto, diz o artista, até agora não recebeu qualquer convite, quando faltam apenas duas semanas para o festival.

A título individual, diz o escultor, não é capaz de avançar para expor parte das trinta grandes peças disponíveis na sua galeria. Faltam condições logísticas.

Governo reconhece problemas

Mosambik Bildhauer in Gaza

Esculturas na galeria de Izidro Banze

Justino Chizango, diretor provincial adjunto da Cultura e Turismo em Gaza,  considera legítimas as preocupações dos escultores. Segundo o dirigente, o Governo da província já trabalha  para que todos os artístas tenham um espaço para exporem as suas obras.

"Em coordenação com uma empresa de consultoria da cidade de Maputo, estamos a mobilizar fundos para a edificação da feira provincial de arte e artesanato na cidade baixa de Xai-Xai, no mira rio próximo ao clube ferroviário de Gaza", explica Chizango.

Enquanto não for mobilizado o dinheiro, os 168 artistas arrolados em  toda a província de Gaza estão  entregues "ao Deus dará" mas, segundo o diretor provincial adjunto da Cultura e Turismo,  o sector tem estado a minimizar o problema,  levando vezes sem conta alguns escultores, entre outros artesãos, para exporem as obras na feira internacional de Maputo-FACIM, promovida anualmente.

"A  Galeria da Casa Provincial da Cultura faz muito, alberga obras de vários  artistas da província, pensamos que é algum esforço  que está a ser empreendido pelo Governo face às dificuldades", sublinha Justino Chizango.

A almejada feira provincial de arte e artesanato de Gaza, que não se sabe quando chegará, está orçada em duzentos milhões de meticais, equivalentes a 3,3 milhões de dólares.

Leia mais