Moçambique: Adiada leitura da sentença do caso do procurador Vilanculo | Moçambique | DW | 12.01.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Moçambique: Adiada leitura da sentença do caso do procurador Vilanculo

Não foram apresentadas justificações para o adiamento e nem uma nova data. Os jornalistas que deviam cobrir o evento só souberam do adiamento no local.

A leitura da sentença estava marcada para a manhã desta sexta-feira (12.01.) no recinto da cadeia civil na cidade de Maputo. Mas nem os guardas sabiam que estava prevista a leitura. Fora os jornalistas, ninguém mais estava no local, segundo um correspondente da DW África.

O caso refere-se ao assassinato do procurador Marcelino Vilanculo a 11 de abril de 2016, à porta de casa. Na altura ele investigava uma onda de raptos. Supostamente estariam envolvidos Danish Satar, sobrinho de Nini Satar, um conhecido empresário moçambicano que está em liberdade condicional após ter cumprido pena por envolvimento no homicídio, em 2000, do jornalista Carlos Cardoso.

Mosambik - Maputo

Maputo, capital moçambicana

Danish Satar foi deportado de Itália para Moçambique no final de 2015, após ter saído do país em circunstâncias até agora desconhecidas. Encontrava-se em liberdade provisória a aguardar o andamento do processo em que é indiciado de envolvimento em raptos.

Acusados

Há quatro acusados no processo, um deles é Edith Cylindo, acusada de ser uma das autoras materiais do crime. Ela terá seguido o magistrado do local de trabalho até perto da sua residência, onde terá ordenado a outros executores que baleassem o procurador.

O julgamento deste caso começou no dia 25 de novembro de 2017 na cadeia civil de Maputo.

E este não é o primeiro caso. Em 2014, Diniz Silica, um juiz que também tinha em mãos processos relacionados com a onda de raptos em Maputo, foi morto a tiro por desconhecidos.

Leia mais