1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

++ Minuto a Minuto: Eleições em Angola ++

MPLA conquista 64,57% dos votos e João Lourenço é eleito novo Presidente da República, segundo resultados provisórios da CNE. Acompanhe aqui as notícias, fotos e vídeos que marcam as eleições.

Todas as atualizações na hora de Luanda

 

++ 24 de Agosto: O dia seguinte à votação ++

 

Os principais acontecimentos do dia:

  • CNE divulga resultados provisórios das eleições quase 24 horas depois do encerramento da votação 
  • MPLA conquista 64,57% dos votos e João Lourenço é eleito novo Presidente da República
  • UNITA não concorda com resultados e diz que atas de voto vão demonstrar a realidade
  • Observadores avaliam positivamente as eleições em Angola

 

21:54 Encerramos aqui a nossa cobertura em tempo real do dia seguinte à votação. Mais informações na nossa página e na emissão da manhã desta sexta-feira (25.08).

21:33  O secretário do Bureau Político do MPLA para as questões políticas e eleitorais, João Martins, afirma que a contagem eleitoral que o partido está a fazer confirma a eleição acima de 147 deputados e uma maioria parlamentar qualificada.  

Ouvir o áudio 03:46

"Cenário caricato em Angola"

21:11 Os resultados provisórios apresentados esta tarde pela CNE não deixam dúvidas: o MPLA tem a maioria absoluta dos votos. O enviado especial da DW a Luanda, António Cascais, diz que dificilmente este cenário mudará se a oposição não tiver provas consistentes. Segundo Cascais, os angolanos estão diante de um "cenário caricato". Acompanhe o relato do jornalista.

20:49 Os ex-Presidentes de Moçambique, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste classificaram as eleições gerais em Angola como "pacíficas, livres, justas e transparentes". Numa declaração conjunta, Joaquim Chissano, Pedro Pires, Manuel Pinto da Costa e José Ramos-Horta exortaram os angolanos a aguardarem "com calma e serenidade pelos resultados finais das eleições". Os quatro ex-chefes de Estado foram convidados a observar as eleições pelo Presidente José Eduardo dos Santos.

20:40 O mandatário da UNITA afirma que o partido tem uma contagem de voto diferente da apresentada pela CNE. "A lógica da CNE tem como base algo que só a CNE sabe explicar. Não sabemos de onde esses resultados estão a vir", diz José Pedro Cachiungo, acrescentando que o partido está a verificar as atas-síntese das assembleias de voto.

"Estamos abertos a trabalhar com a CNE para ver onde estão as nossas diferenças e o país ainda está calmo. Vamos convidar a CNE a que ambos conciliemos as nossas visões e cada um argumentará com robustez a razão dos números que produz", afirma.

Segundo Cachiungo, através das atas de voto a UNITA vai demonstrar que está a disputar "de forma renhida" a vitória com o MPLA, abrindo possibilidades de coligações pós-eleitorais.

20:24 No dia da votação, a oposição queixou-se de irregularidades em várias assembleias de voto. No Huambo, por exemplo.

20:20 O ministro do Interior de Angola, Ângelo da Veiga Tavares, destaca o "alto grau de maturidade política" dos angolanos, acrescentando que o mesmo deve ser demonstrado por dirigentes de partidos políticos.  

20:15 A província de Cabinda apresenta, até ao momento, o resultado mais equilibrado das eleições gerais. Segundo dados da CNE, os dois maiores partidos da oposição - UNITA (28,19%) e CASA-CE (29,27%) - juntos têm mais votos do que o MPLA (39,81%).

20:00 A UNITA está a fazer uma contagem paralela dos votos. O líder do grupo parlamentar do maior partido da oposição, Adalberto da Costa Júnior, conversou com a DW África em Luanda e garantiu: "MPLA não vai chegar à maioria".

Assistir ao vídeo 01:27

"MPLA não vai chegar à maioria"

19:51 A demora para a divulgação dos resultados provisórios das eleições gerou grande expetativa em Angola. O anúncio da CNE aconteceu quase 24 horas depois do encerramento da votação. No site Maka Angola, o jornalista angolano Rafael Marques afirmou que o órgão eleitoral havia suspendido a divulgação "por decisão da Presidência da República". 

19:44 Os dados apresentados esta tarde pela CNE não têm em conta os votos de cerca de 1.300 eleitores em 15 assembleias de voto, que só votarão no sábado.

Angola Wahlen Stimmenauszählung

Assembleia de voto em Luanda no dia da votação

19:32 A eurodeputada Ana Gomes lamentou que a CNE não apresente resultados parciais por municípios e províncias. Para Ana Gomes, "a agregação e tabelação das votações é absolutamente fundamental" para que as eleições gerais em Angola ou noutros países possam ser validadas internacionalmente.

19:21 "Uma democracia não se constrói apenas no dia das eleições – Angola precisa de um mudança fundamental". Confira aqui o artigo de opinão do chefe de redação da DW África, Johannes Beck.

19:11 O ex-ministro da Defesa, João Lourenço, será o próximo Presidente da República de Angola. Lourenço é militar de carreira e general na reserva e uma das figuras da cúpula do MPLA. Sucede agora a José Eduardo dos Santos, no poder desde 1979. O chefe de Estado cessante continuará, porém, na presidência do MPLA.

Formado em Ciências Históricas, na antiga União Soviética, João Lourenço é casado com a ex-ministra do Planeamento e consultora do Banco Mundial, Ana Dias Lourenço, e é pai de seis filhos. Na sua biografia pessoal diz que é aficionado pela leitura, xadrez e equitação.

Angola Wahlkampf Joao Lourenco MPLA

João Lourenço e Ana Dias Lourenço durante ato de massa em Luanda, no mês de março

18:54 Apesar de os resultados divulgados esta tarde pela CNE serem provisórios, a eleição de João Lourenço como Presidente da República é dada como certa por especialistas. De acordo com a legislação angolana, mesmo sem maioria absoluta, o partido que obtém o maior número de votos elege o Presidente (veja gráfico em baixo). Com apenas 36% dos votos ainda por contar, a questão é saber se o MPLA terá maioria absoluta ou não no Parlamento.

18:40 Quem são os chefes de Estado há mais tempo no poder?

18:36 A Polícia Nacional angolana considerou "estável" o ambiente das eleições gerais no país. No total, foram registadas 24 detenções.

18:20 Confira como os angolanos votaram nas três eleições passadas.

18:07 Após a divulgação dos resultados provisórios das eleições, que dá vitória ao MPLA com 64,57% dos votos, a UNITA diz que vai buscar os resultados "verdadeiros". "Se queremos um país sério, as instituições têm que ser sérias, não é a CNE que vai contrariar a vontade do povo", diz José Pedro Catchiungo, mandatário do partido.

Assistir ao vídeo 01:26

"A CNE não vai contrariar a vontade do povo"

17:48 No Twitter, o candidato João Lourenço comemora a vitória do MPLA.

17:44 A CASA-CE está a fazer uma contagem de votos paralela. Antes da divulgação dos resultados provisórios pela CNE, o porta-voz Lino Bernado Tito afirmou que "não há maioria absoluta" e que o segundo maior partido da oposição deve "eleger deputados em pelo menos cinco províncias". Assista ao vídeo:

Assistir ao vídeo 01:29

CASA-CE: "Não há maioria absoluta"

17:33 Nas redes sociais, internautas repercutem os resultados provisórios das eleições, que dão vitória ao MPLA.

17:21 Os resultados globais provisórios divulgados apontam para a vitória do MPLA, o que coloca João Lourenço como o novo Presidente da República.

Veja os resultados divulgados pela CNE:

MPLA: 64,57%

MPLA: 64.57%

UNITA: 24,4%

CASA-CE: 8,56%

PRS: 1,37%

FNLA: 0,95%

APN: 0,52%

Participação: 76,83 %

O anúncio foi feito na sede do órgão em Luanda. Já foram escrutinados os votos de 5.938.853 dos 9.317.294 eleitores inscritos.

O enviado especial da DW a capital angolana, António Cascais, afirmou que havia uma grande expetativa para os resultados e destacou a demora para o anúncio oficial, feito quase 24 horas depois do encerramento da votação.

17:10 A Comissão Nacional Eleitoral (CNE) de Angola está a anunciar agora os resultados provisórios das eleições gerais no país. Na província de Luanda:

- MPLA: 50,26% 
- UNITA: 34,25%
- CASA-CE: 13,97%
- FNLA: 0,71% 
- PRS: 0,51%
- APN: 0,30%

Angola erste Wahlergebnisse

CNE anuncia resultados provisórios das eleições gerais angolanas um dia depois da votação

 

++ 23 de Agosto: Dia da votação em Angola ++

 

Os principais acontecimentos do dia da votação:

  • Angola votou em eleições históricas, sem José Eduardo dos Santos na corrida à Presidência
  • Observadores descreveram "grande calma", PRS denuncia irregularidades
  • CNE admite "pequenas falhas" no processo eleitoral
  • Assembleias de voto fecharam com baixa adesão de eleitores
  • Resultados provisórios poderão ser anunciados dentro 24 horas, garante CNE

 

21:30 Encerramos por hoje a nossa cobertura "minuto a minuto". Mais informações na nossa página e na emissão da manhã desta quinta-feira (24.08).

Ouvir o áudio 03:58

"Eleições calmas e organizadas"

21:10 Mais de 9 milhões de angolanos foram chamados às urnas para escolher o próximo Presidente, vice-Presidente e Assembleia Nacional. O enviado especial da DW a Luanda, António Cascais, afirma que o processo eleitoral decorreu com "muita calma e boa organização". Cascais visitou várias assembleias de voto em Luanda e arredores e faz um "balanço globalmente positivo" do que viu. 

20:45 Na cidade do Huambo, mais de 20 eleitores foram detidos pela Polícia de Intervenção Rápida por supostamente se recusarem a abandonar a assembleia de voto depois de terem votado.

De acordo com o correspondente Nelson Sul D’Angola, os cidadãos queriam acompanhar a contagem de voto após o encerramento da assembleia, contudo não foram autorizados pela polícia a permanecer no local. Ainda segundo o relato, os polícias efetuaram disparos, mas não há informações sobre feridos.

20:21 O ativista angolano Luaty Beirão comentou o dia da votação: "Correu melhor do que em 2012. Houve um período do dia em que caíram bastantes reclamações, mas por comparação com o dia 31 de agosto de 2012 [eleições gerais anteriores] foi sem dúvida muito mais calmo, muito mais tranquilo", afirmou o ativista em entrevista à Lusa.

Luaty Beirão, que coordena um projeto de monitorização do processo eleitoral deste ano, falou com a DW África em Luanda antes das eleições. Confira a entrevista aqui.

20:08 Começa a contagem de votos em Angola. A agência AFP publicou um vídeo em que mostra este processo.

19:55 Na cidade de Benguela, as eleições foram marcadas pela pouca afluência às urnas por parte dos eleitores. Segundo informações apuradas pelo correspondente Nelson Sul D'Angola, tudo indica que o número da abstenção poderá ultrapassar o das eleições de 2012.

19:41 O presidente da CNE, André da Silva Neto, informa que os resultados provisórios destas eleições gerais poderão ser divulgados dentro de 24 horas.  

19:28 O combate à corrupção foi uma das promessas comuns entre os partidos durante a campanha eleitoral em Angola. Mas a proposta do MPLA foi a que ganhou mais destaque. No poder desde 1975, o partido reconheceu que "o país não pode mais sofrer com a corrupção".

 A DW África reuniu outras propostas apresentadas nestas eleições gerais:

- As propostas para a saúde
- As propostas para a educação 
- As propostas para o emprego
- As propostas para a habitação
- As propostas para a economia

19:05 Está a circular nas redes sociais uma foto da filha do Presidente José Eduardo dos Santos, Isabel dos Santos, supostamente tirada depois de ela votar. 

18:47 Na capital angolana, eleitora ouvida pela DW África afirma que a votação desta quarta-feira não foi "como anteriormente" e decorreu sem problemas.

Assistir ao vídeo 00:27

"Eleições tranquilas", diz eleitora em Luanda

18:26 Pouco antes do encerramento, as assembleias de voto registaram fraca adesão de eleitores, segundo verificou a agência de notícias Lusa em Luanda.

Na escola do primeiro ciclo 3012, no município de Cazenga, nos arredores da capital, o presidente daquela assembleia de voto, João Manuel, afirmou à Lusa que a "grande preocupação" do dia foi, sobretudo, "a falta de alimentação para os delegados de lista dos partidos concorrentes". Apenas os delegados do MPLA tiveram acesso a alimentação direta, informou.

Angola Luanda Präsidentschaftswaahlen Wähler Wahllokal

Assembleia de voto em Luanda

17:56 As assembleias de voto fecham dentro de poucos minutos, às 18h. Mas o presidente da CNE, André da Silva Neto, assegura que os eleitores que já estiverem nas suas respetivas assembleias poderão votar até às 19h30, quando serão encerradas as mesas de votação.  

17:30 Durante um balanço das primeiras sete horas de votação em Angola, o presidente da CNE, André da Silva Neto, disse estar satisfeito com o decorrer do processo. Segundo Neto, os eleitores poderão votar até às 18h. 

Assistir ao vídeo 01:00

CNE está satisfeita com a votação em Angola

17:16 Depois de admitir "pequenas falhas" nas eleições gerais em Angola, a Comissão Nacional Eleitoral (CNE) garantiu que todas as mesas de voto em Luanda têm delegados em condições de fiscalizar a votação.

No total, estão credenciados para as eleições desta quarta-feira 39.413 delegados. Outros 5.251 não foram credenciados a tempo, nomeadamente por "duplicação" em mesas de voto. A informação foi avançada à agência Lusa pelo presidente da Comissão Provincial Eleitoral da capital, Manuel da Silva.

Angola Wahl

Votação em Luanda: todas as assembleias de voto têm delegados, garante CNE

16:58 Após o voto, angolanos partilham nas redes sociais fotos com o dedo indicador pintado.

16:42 No Huambo, a segunda maior cidade angolana, as eleições decorrem com normalidade, pelo menos nas assembleias visitadas pela DW África. Mas houve casos de falta de credenciamento de fiscais de alguns partidos.

Segundo apurou o correspondente José Adalberto, a UNITA também denunciou irregularidades no município de Cachiungo, onde alguns eleitores encontraram os seus nomes nas listas como já tendo exercido o direito de voto.

As denúncias nestas eleições começaram ainda durante a campanha eleitoral, que decorreu entre os dias 23 de julho e 21 de agosto. Houve acusações de fraudes e até mesmo agressões físicas entre militantes do MPLA contra apoiantes da oposição. Leia mais aqui

16:25 Está a circular nas redes sociais um apelo que a Amnistia Internacioal faz ao próximo Presidente angolano.

16:07 PRS denuncia irregularidades: Manuel Ribaia, porta-voz do Partido de Renovação Social, fala em assembleias de voto ilegais e na "discriminação total" de delegados dos partidos. Conclui que os "pressupostos democráticos" não se estão a constatar.

Assistir ao vídeo 01:52

PRS denuncia irregularidades

16:00 A Comissão Nacional Eleitoral (CNE) admitiu "pequenas falhas" no processo de votação das eleições gerais, entre elas a rejeição pelos presidentes das assembleias de voto da presença de delegados de lista dos partidos políticos para fiscalização.

Segundo o responsável do órgão eleitoral angolano, André da Silva Neto, inicialmente em cada mesa de voto deveria estar um delegado de lista de cada um dos partidos concorrentes e um suplente, mas devido aos atrasos no credenciamento destes delegados de lista, alterou-se o figurino. 

"Decidimos que os suplentes naqueles locais em que havia mesas por se colocar delegados efetivos, os delegados suplentes se convertessem em delegados efetivos", explicou.  A decisão foi tomada já de noite e encaminhada para deliberação às comissões municipais eleitorais, mas, por sua vez, "tiveram algumas dificuldades inicialmente para fazer chegar este procedimento às respetivas assembleias de voto".

15:05 Fizemos um resumo da manhã de votação em imagens. Veja aqui.

14:48 Como o novo Presidente de Angola poderá transformar o país? O Instituto para Estudos de Segurança (ISS) traça algumas perspetivas para o próximo Governo.

14:38 Como votaram os angolanos nas últimas três eleições?

14:24 O correspondente da DW na cidade do Huambo, José Adalberto, diz que os munícipes têm afluído em massa às urnas.

Idalina Salomé, de 26 anos, votou hoje pela primeira vez e apelou a todos os eleitores que ainda não votaram para exercerem o seu direito de cidadania o quanto antes. Marcelino Segunda, outro cidadão ouvido pelo correspondente da DW no Huambo, mostrou-se satisfeito com estas eleições, apesar de se queixar de uma certa "desorganização" por parte de alguns cidadãos nas filas para votar.

Idalina Salomé Wählerin in Huambo Angola Afrika

Idalina Salomé votou pela primeira vez este ano

14:13 Em Luanda, o ambiente nas assembleias de voto é tranquilo. Em entrevista à DW África, eleitor fala em "mudança" e diz querer "sangue novo" para governar o país. 

Assistir ao vídeo 01:26

Luanda: Eleitor quer "sangue novo" para governar Angola

13:56 O correspondente da DW em Luanda, Borralho Ndomba, escreve que as assembleias de voto fecham às 19h; a votação deverá terminar por volta das 18h, segundo o presidente da CNE, André da Silva Neto.

13:40 Neste dia histórico, a agência de notícias AFP foi aos arquivos e encontrou uma foto do Presidente cessante, tirada um ano depois de José Eduardo dos Santos assumir o poder, com Fidel Castro.

13:26 Aparentemente, "mudança" é também a palavra do dia. O líder da CASA-CE, Abel Chivukuvuku, acabou de postar no Twitter.

13:19 O partido que ganha as eleições gerais de hoje elege automaticamente o próximo Presidente angolano.

13:12 "Mudança" foi uma das palavras que mais se ouviu durante a campanha eleitoral. Será que os eleitores angolanos vão optar pelas mudanças prometidas pelo partido no poder, o MPLA, ou preferem as alterações prometidas pelos outros partidos que concorrem nestas eleições. Recorde aqui as principais propostas dos partidos:

- As propostas para a saúde
- As propostas para a educação 
- As propostas para o emprego
- As propostas para a habitação
- As propostas para a economia

13:04 Na zona do Zango, nos arredores de Luanda, jovens descrevem um dia de votação calmo. Falam ainda na possibilidade de abstenção alta e na esperança do povo na mudança.

Assistir ao vídeo 01:38

Zango: Jovens comentam eleições gerais

12:53 Presidente da Assembleia Nacional de Angola apela a voto "com disciplina, serenidade e irmandade". Fernando da Piedade Dias dos Santos falou aos jornalistas depois de votar em Luanda.

12:32 Votação a decorrer calmamente no Zango 1, nos arredores de Luanda.

12:19 Há eleitores que não sabem onde votar, segundo a agência de notícias Lusa. Vários cidadãos no município do Cazenga, na província de Luanda, disseram ter dificuldades em localizar as suas assembleias de voto: "Tenho aqui esta ficha na mão e até agora estou a circular para ver se consigo encontrar a minha assembleia de voto, porque não sei onde fica o bairro 11 de Novembro", afirmou Gabriel Tchova. Outra eleitora, Verónica Ngangula Nzuzi, também estava com dificuldades: "Estou aqui já a circular desde as 07:00 e ainda nem sei onde votar. Atualizei o meu cartão, mas não consigo localizar esta referência que meteram aqui no papel". A Lusa diz que não registou casos do género noutras zonas.

12:13 A escritora de literatura infantil Cremilda de Lima espera que, com as eleições gerais desta quarta-feira, Angola possa trilhar um caminho em que os cidadãos "se encontrem uns aos outros".

Assistir ao vídeo 01:03

"Viva Angola, viva as eleições"

12:00 Vários eleitores têm estado a comentar este dia histórico em Angola na página da DW no Facebook. O internauta Geraldo Dos Sambo disse que já votou em Cabinda e que estava tudo calmo. Cristiano Armando João, de Luanda, também já depositou o seu voto e disse que, na sua assembleia, "só se fala de mudança".

11:53 A votação ainda está a decorrer em Angola, mas já se perspetivam cenários pós-eleitorais. Segundo o correspondente da DW em Luanda, Borralho Ndomba, a CASA-CE vai debater a partir de sexta-feira o futuro depois das eleições (incluindo uma possível coligação) numa conferência a ser realizada na ilha do Mussulo, na capital angolana.

11:29 Os votos do Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, do candidato do MPLA, João Lourenço, e do candidato da UNITA, Isaías Samakuva.

11:20 Hoje há muitos eleitores que não deverão poder votar porque foram colocados em assembleias de voto a milhares de quilómetros de distância. Fica longe e sai caro. Leia aqui o artigo do nosso correspondente na província da Huíla sobre este tema.

11:13 O chefe da missão de observação da CPLP, Miguel Trovoada, diz que a votação está a decorrer de forma calma e disciplinada. Segundo o enviado especial da DW África, António Cascais, a CPLP é, por enquanto, o grupo de observadores mais visível.

Assistir ao vídeo 00:30

Miguel Trovoada: "Há uma grande calma"

11:04 Primeiro que todos: hoje, o presidente do PRS, Benedito Daniel, foi o primeiro candidato à Presidência a votar. Disse à imprensa, no município de Viana, que estas eleições refletem a "normalização do processo democrático do país", escreve a ANGOP.

10:56 Ao votar, os cabeças-de-lista das forças políticas que concorrem nestas eleições deixaram várias mensagens:

- João Lourenço, do MPLA, apelou ao voto de todos, "de Cabinda ao Cunene".

- Isaías Samakuva, da UNITA, fez igualmente um apelo ao voto, num dia em que os angolanos se devem sentir "importantes"; disse ainda que o processo eleitoral registou "irregularidades", mas muitas já foram ultrapassadas.

- Abel Chivukuvuku, da CASA-CE, afirmou que estas eleições gerais podem ser "um novo começo para o país".

10:47 Abel Chivukuvuku, líder da CASA-CE, já votou em Luanda. Chegou à assembleia de voto de fato branco e com o cartão de eleitor na mão, e colocou o voto na urna rodeado de jornalistas. A CASA-CE é uma das seis formações políticas em disputa nestas eleições gerais - é a segunda vez que a coligação concorre; a primeira foi nas últimas eleições de 2012, em que conseguiu eleger 8 deputados.

Assistir ao vídeo 00:36

Abel Chivukuvuku vota em Luanda

10:11 Abel Chivukuvuku, líder da CASA-CE, chegou à assembleia de voto. O líder da UNITA, Isaías Samakuva, já votou.

10:04 Albina Assis, ex-ministra dos Petróleos e assessora do Presidente José Eduardo dos Santos, votou na Escola de Aplicação e Ensaios, em Luanda, e comentou o ato eleitoral.

Assistir ao vídeo 00:32

Albina Assis: "É uma organização impecável"

09:41 João Lourenço acabou de votar. O cabeça-de-lista do MPLA à Presidência da República votou na Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto, em Luanda. Lourenço disse aos jornalistas que está tranquilo e que vai acompanhar o processo eleitoral "até ao fim do dia".

09:25 O Presidente cessante, José Eduardo dos Santos, já votou. Fê-lo juntamente com a mulher, Ana Paula dos Santos, por volta das 08h30, na escola primária de São José de Clunny, no centro de Luanda. Dos Santos cumprimentou os observadores internacionais no local, incluindo os antigos presidentes de Timor-Leste, José Ramos-Horta, e de Moçambique, Joaquim Chissano, e o ex-primeiro-ministro cabo-verdiano José Maria Neves, entre outros. O chefe de Estado angolano não falou aos jornalistas.

09:21 Foi declarada tolerância de ponto para ir votar. E o tempo parece estar bom. Temperatura neste momento em Luanda: 22º. Máxima prevista para hoje: 25º. De manhã, já havia várias filas de eleitores à espera de colocar o voto nas urnas na Escola de Aplicação e Ensaios, no bairro de Alvalade, em Luanda. Tudo decorre de forma tranquila.

09:12 Cada cidadão deve ser um fiscal eleitoral - foi o que pediram vários ativistas antes das eleições. Até há um site de internet e uma aplicação para telemóveis para fazer denúncias. Veja aqui.

Assistir ao vídeo 01:16

Ativistas criam app para monitorizar eleições em Angola

08:52 Ao todo, 9.317.294 eleitores estão em condições de votar. Há 12.512 assembleias de voto (que incluem 25.873 mesas de voto) espalhadas pelo país, em escolas e tendas.

08:38 Desde as 7 horas da manhã que se vota em Angola. 

O enviado especial da DW África, António Cascais, diz que se nota um ambiente muito calmo em Luanda e há já uma afluência em massa às urnas logo pela manhã. 

Ouvir o áudio 03:06

Entrevista a chefe da missão de observadores da União Africana

08:28 O chefe da missão de observação eleitoral da União Africana, José Maria Neves, disse ao nosso correspondente em Cabo Verde, Nélio dos Santos, que estão reunidas as condições para que as eleições em Angola "decorram na maior tranquilidade". Falou ainda sobre as denúncias da oposição de que houve delegados que, na véspera das eleições, ainda não tinham sido credenciados.

08:18 Estes são os últimos dias de José Eduardo dos Santos como Presidente de Angola. Ocupa o cargo desde 1979. A agência de notícias AFP publicou no Twitter um mapa com os chefes de Estado há mais tempo no poder.

08:02 Segundo Zenaida Machado, da organização Human Rights Watch, o Presidente cessante José Eduardo dos Santos vota por volta das 8h30 na Cidade Alta, no centro de Luanda. Isaías Samakuva, da UNITA, votará por volta da mesma hora na Universidade Óscar Ribas, em Talatona.

07:49 Ontem, um grupo de cidadãos angolanos manifestou-se junto a uma das comissões municipais eleitorais de Luanda para exigir as credenciais para trabalhar nas mesas de voto para as eleições gerais, de acordo com a agência de notícias Lusa. A imprensa angolana noticiou, por outro lado, que a polícia dispersou vários grupos de cidadãos em protesto pelos mesmos motivos em pelo menos dois pontos da cidade. 

Ouvir o áudio 04:14

"As pessoas estão com vontade de mudança"

07:41 Estas são umas eleições históricas. Segundo o enviado especial da DW a Luanda, António Cascais, paira no ar o desejo de mudança. "Desta vez, nota-se que as pessoas estão mesmo com vontade de mudança. Exprimem esse sentimento sempre que pedimos para dizerem o que pensam".

07:30 As urnas já abriram em Angola. Mais de nove milhões de eleitores são chamados a votar nas quartas eleições no país - as primeiras sem José Eduardo dos Santos como candidato à Presidência. Seis partidos disputam os 220 lugares da Assembleia Nacional angolana (130 pelo círculo nacional e 90 pelas províncias).

Leia mais

Links externos

Áudios e vídeos relacionados