1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Ministra alemã da Defesa lembra soldados mortos no Mali

Após acidente de helicóptero em que dois soldados alemães morreram, presença no Mali é uma das mais importantes, mas também uma das mais perigosas do exército alemão, enfatizou Ursula von der Leyen, este domingo (30.07).

Mali Von der Leyen reist nach Mali und Niger (picture alliance/dpa/B. Pedersen)

Ursula von der Leyen fala aos soldados alemães no Mali

A ministra alemã da Defesa, Ursula von der Leyen, visitou o Mali. Em Gao, no nordeste do país, estão estacionados soldados alemães. Como parte de uma missão das Nações unidas (ONU), eles devem ajudar a garantir um acordo de paz entre o Governo maliano e os rebeldes.

Para tal, a Alemanha está a fornecer drones e helicópteros, além de pessoal. Na quarta-feira (26.07), um helicóptero alemão caiu e dois soldados morreram. A viagem de Von der Leyen, que já estava planejada, agora tornou-se um sinal de luto. Este domingo (30.07), a ministra participou de uma missa no acampamento Castor, onde foi erguida a Igreja de Martin.

Não se trata exatamente de uma igreja, mas sim de uma barraca, coberta por uma fina camada de areia do deserto. Os soldados construíram também um pequeno altar. Velas foram colocadas sobre ele e fotos dos dois pilotos do exército alemão que morreram na queda do helicóptero, na passada quarta-feira (26.07). No local, Ursula von der Leyen cantou e orou, com cerca de uma centena de militares que participaram da missa.

"Essa perda é pesada," declarou a ministra alemã.

Mali Von der Leyen reist nach Mali und Niger (picture-alliance/dpa/B. Pedersen)

Missa no acampamento Castor, em Gao no Mali

Prestar solidariedade

Há mais de dois anos, nenhum soldado alemão morria em uma missão no estrangeiro. Isso aconteceu em Gao, no Mali, quando o helicóptero caiu, há 70 quilómetros do acampamento. Imediatamente depois, os soldados tiveram de ir até lá, garantir a segurança do local do acidente e transmitiur as informações. Muitos puderam pensar sobre o aciente apenas muito mais tarde. Ursula von der Leyen quer falar com eles, estar lá, ouví-los.

"É por isso que hoje eu quero passar o dia aqui com o contingente, para dar espaço e tempo para muitas conversas," afirmou Von der Leyer.

O "contingente" - estes são os mais de 800 soldados do exército alemão que estão atualmente estacionados em Gao. Durante a missa, o pároco militar proferiu palavras de solidariedade. "Tivemos uma semana muito difícil," falou.

Ainda não se sabe os motivos da queda do helicóptero. Uma equipa de peritos está no local para determinar a causa. A ministra conversou com os especialistas, mas aparentemente ainda não há resultados claros. Uma das duas caixas-negras do helicóptero já foi encontrada. Ela está danificada – ainda não se sabe se será possível recuperar as informações nela contidas.

Mali Kampfhubschrauber Tiger der Bundeswehr (picture-alliance/Bundeswehr/M. Tessensohn)

Helicóptero do exército alemão que caiu no Mali era como este da foto

Papel da Alemanha no Mali

Mas, este domingo (30.07), o foco estava nas negociações com as tropas em Gao. A ministra Von der Leyen queria falar não só sobre o acidente.

"Vou falar com os soldados sobre a missão de paz das Nações Unidas, em nome da qual eles estão aqui. Eu vim também para fortalecê-los. Sabemos que o sucesso da missão de paz aqui no Mali é crucial para a estabilidade da nossa vizinhança. E que a estabilização dos países vizinhos da Europa tem influências sobre a estabilidade da Alemanha, mas também da Europa," defendeu a minsitra.

Isso soou como uma tentativa de motivação: Explicar aos soldados mais uma vez, que seu trabalho no Mali é importante. Lá, o exército alemão deve recolher informação, contribuindo assim para melhorar a situação de segurança e fazer cumprir um instável acordo de paz. Do ponto de vista da ministra, os alemães, como parte da missão da ONU, têm um papel central.

"É uma das mais importantes, mas também uma das mais perigosas missões da Organização das Nações Unidas. A contribuição alemã é um pilar importante - ela é indispensável," considerou Von der Leyen.

Isto aplica-se não só ao trabalho que os soldados fazem no Mali. Mas também ao equipamento militar que o exército alemão disponibiliza. Também por isso, é importante descobrir a causa da queda do helicóptero o mais cedo possível. Porque, no momento, os três helicópteros operacionais do exército alemão remanescentes deve permanecer em solo. Apenas em casos excepcionais eles devem ser autorizados a lvantar vôo - até que a causa do acidente esteja clara.

Leia mais