1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Merkel visita três países africanos nos próximos dias

Dentre os objetivos da viagem, chanceler alemã buscará restaurar estabilidade económica dos países oferecendo oportunidades aos mais jovens. Medida visa estancar fluxo migratório para a Europa.

A chefe do Governo alemão, Angela Merkel, inicia este domingo (09.10) um périplo de três dias por três países africanos: Mali, Níger e Etiópia. Segundo salientou a chanceler, a estabilidade da União Europeia depende muito da estabilidade económica no continente africano. "É necessário ajudar os países africanos a construir uma economia que gere riqueza e postos de trabalho", disse Merkel antes de partir para o continente africano.

Recentemente, o ministro alemão dos Negócios Estrangeiros, Frank-Walter Steinmeier, também esteve no Mali e no Níger, dois países de trânsito para milhares de refugiados africanos que tentam chegar à Europa ocidental. Os dois países também sofrem com o terrorismo internacional. Grupos como a Al-Qaida no Magrebe Islâmico e Boko Haram estão presentes em ambos os países.

De acordo com o perito em questões africanas da Fundação Alemã de Política e Ciência, Dennis Tull, a migração é um tema central neste momento.

Mali Deutschland Ursula von der Leyen besucht Bundeswehr Soldaten in Gao

Foto ilustrativa: soldado alemão que serve ao Minusma, no Mali

"O tema da migração é um tema de extrema importância aqui na Alemanha. Por outro lado, a migração também faz parte da identidade de grande parte dos jovens no continente africano. Em países como o Senegal ou o Mali, práticamente todos os jovens pensam em emigrar. A emigração faz parte da norma socio-cultural".

Oportunidades para os mais jovens

Angela Merkel, segundo os observadores, quer dar alternativas à juventude africana. A melhor maneira de manter os jovens nos seus países é dar-lhes oportunidades de formação e de emprego. E é nesses campos, precisamente, que o Governo alemão pretende investir. Uma delegação de empresários alemães acompanhará a chanceler, com objetivo de viabilizar possibiliades de investimento nos países em questão.

Denis Tull afirma que "é importante aumentar o volume de negócios de empresas alemãs no continente africano”. Segundo o especialista, "Enquanto a Alemanha não tiver interesses económicos em África a cooperação permancerá pouco dinâmica. No caso do Mali, por exemplo, as trocas comerciais continuam num nível bastante baixo. Há que alterar este estado de coisas", alerta Tull. 

Mali e Etiópia

Ouvir o áudio 03:42

Merkel visita três países africanos nos próximos dias

Para além do reforço das trocas comercais discute-se também um reforço da presença militar alemã na região, mais precisamente no Níger. O exército alemão tem planos de construir uma base militar no Níger, para assim contribuir para a estabilização da região do Sahel. Os soldados alemães deverão também prestar apoio à Minusma, a missão militar das Nações Unidas no Mali. Angela Merkel encontrar-se-á com soldados alemães no aeroporto militar de Bamako, capital do Mali.

A última etapa da visita de Merkel pelo continente africano é a Etiópia, país que tem sido criticado pelas sistemáticas violações dos direitos humanos. Em Addis Abeba, Angela Merkel inaugurará um novo edifício da União Africana, que teve a obra financiada com dinheiro alemão.

Um grupo de dissidentes etíopes residentes na Alemanha manifestaram-se nestes dias, em Berlim, contra o regime etíope. Um dos manifestantes apelou à Angela Merkel no sentido de colocar e dedo na ferida e levantar a voz junto do Governo etíope contra as violações dos direitos humanos.

"Morrem pessoas todos os dias na Etiópia. Pessoas que se manifestam contra o regime. Não é justo apoiar o Governo etíope. Esse Governo perdeu toda a legitimidade", apelou o manifestante em Berlim.

 

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados