1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

MDM e FRELIMO "batem-se" por Quelimane

Quelimane será uma das maiores "batalhas" das eleições autárquicas em Moçambique. Esta é uma das poucas cidades governadas pela oposição, o MDM. O partido no poder, FRELIMO, faz de tudo para recuperá-la.

default

Uma das ruas da cidade de Quelimane, na província da Zambézia

Os candidatos e os seus apoiantes levam mensagens e promessas ao eleitorado por via de campanha porta-a-porta, visitas aos mercados e comícios em locais de maior concentração pública.

Também organizam desfiles em diversas artérias de Quelimane juntando milhares de membros e simpatizantes para pedir votos.

A RENAMO, o maior partido da oposição, decidiu abster-se de concorrer por qualquer das autarquias como sinal de protesto contra a composição da Comissão Nacional Eleitoral – CNE.

Assim em Quelimane, capital da província central da Zambézia, estão na corrida para à presidência deste município, a FRELIMO, partido no poder, e o Movimento Democrático de Moçambique (MDM), que preside o município desde as intercalares de 2011, aquando da renúncia do edil Pio Matos da FRELIMO. Na altura, Manuel Alculete Lopes de Araújo, do MDM, ganhou com 62,65% dos votos contra 37,31% de Lorenço Abu Bacar candidato da FRELIMO.

Desde 2011, Quelimane passou a ser a segunda cidade governada pela oposição do MDM para além da cidade da Beira.

Wahlkampf Venâncio Mondlane MDM

Apoiantes do MDM em campanha eleitoral

As promessas

Na campanha para as autárquicas de 2013, Manuel de Araújo disse querer continuar com o seu programa de desenvolver Quelimane através do melhoramento dos mercados, mais acesso à energia e mais estradas.

E no meio de cantorias da campanha, e com a concordância do seu eleitorado, o candidato instrui: "Naquele boletim verão duas pessoas, a primeira(que é do candidato da FRELIMO) esqueçam, a segunda foto sim. Queremos melhorar este mercado."

Por seu turno, Abel Henriques de Albuquerque, candidato pela FRELIMO, além de um município próspero, promete uma governação inclusiva, participava, e fora da corrupção: "Agora é para lutarmos e criarmos um futuro melhor para Quelimane. Se usarmos camisetas e depois não lutarmos interessa alguma coisa? Então temos de estar muito vigilantes."

Albuquerque usa a mesma estrtágia que Araújo, alertando que o primeiro é quem merece o voto. E tal como o anterior candidato, o seu eleitorado responde positivamente aos seus apelos. O candidato do MDM também fez referência aos confrontos armados entre a RENAMO e o Governo que segundo ele "já deixou várias dezenas de mortos, nomeadmente na província central de Sofala em localidades como Maríngué e Muxúngué".

Manuel de Araújo aproveita a tensão político-militar para colher votos: "Qual é a cor da paz? E a minha camiseta de que cor é? Quero pedir aos jovens, que se votarem na morte e no sangue daqui a três meses veremos rusgas aqui na cidade para capturarem jovens para irem morrer em Maríngué."

Wahlen in Mosambik: Anhänger von Präsident Armando Guebuza

A FRELIMO está empenhada em recuperar Quelimane junto do eleitorado

RENAMO na luta pela paridade

Os dois maiores partidos concorrentes, acusam-se mutuamente pelo não cumprimento das regras da campanha eleitoral: "A utilização de meios e bens estatais, o uso de crianças para inviabilizar o manifesto do outro, etc. Mas esse tipo de comportamento não é pemitido pela lei da sociedade civil. Além de observadora (a sociedade civil) vai entrar e incutir civismo em ambas as partes."

A RENAMO, através do seu delegado político na provincia da Zambézia Abdula Ibrahimo lamenta que partidos e organizações tenham aceite participar nessas eleições: "Apresentamos inquietações e preocupações que são também do povo moçambicano". Por outro lado, aproveitou para lembrar aos moçambicanos que a sua formação está fora desta corrida: "Não podemos aderir a essa manobra e por isso queremos paridade para que as eleições sejam livres, transparentes e justas."

A campanha eleitoral em Moçambique termina na próxima segunda-feira dezoito de novembro e dois dias depois terá lugar a votação.

Ouvir o áudio 04:13

MDM e FRELIMO "batem-se" por Quelimane

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados