Mau tempo deixa mortos e desalojados em Moçambique | Moçambique | DW | 29.12.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Mau tempo deixa mortos e desalojados em Moçambique

Autoridades prestam assistência à população no centro e norte de Moçambique, as regiões mais afetadas, e alertam para medidas preventivas. Instituto de Meteorologia diz que vai continuar a chover nos próximos dias.

default

Mais de 20 mil pessoas estão desajoladas devido ao mau tempo (Foto de 2014)

Em Moçambique, oito pessoas morreram e mais de 20 mil estão desalojadas devido às chuvas intensas que assolam as regiões centro e norte do país há pelo menos duas semanas. Cerca de quatro mil casas ficaram destruídas. O Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC) já decretou alerta laranja.

Segundo o porta-voz do INGC, Paulo Tomás, os comités de emergência ao nível provincial e distrital já foram ativados para estar em "prontidão, intensificar as ações de monitoria face aos eventos" que ocorreram e aos "que estão eminentes, como foi avançado pelo Moçambique (INAM)". 

Ouvir o áudio 02:30
Ao vivo agora
02:30 min

Mau tempo deixa mortos e desalojados em Moçambique

Ainda de acordo com o porta-voz do INGC, a assistência à população será garantida. Mas ele lembra que a cooperação dos residentes também é importante.

"Apelamos para as medidas preventivas, apelando também aos líderes locais, principalmente aos chefes de posto e de localidades para junto dos comités locais de risco de calamidades exercerem a sua autoridade para o cumprimento das medidas preventivas avançadas pelos órgãos de informação e pelas autoridades", ressalta.

Mau tempo vai continuar

Na província de Sofala, pelo menos 25 mil pessoas estão isoladas nos distritos de Nhamatanda e Gorongosa devido às chuvas que caem desde domingo.

O Instituto Nacional de Meteorologia diz que vai continuar a chover nas próximas 48 horas. Segundo o meteorologista Acácio Tembe, haverá "maior incidência para as províncias da Zambézia, Niassa, Cabo Delgado e Nampula".

O INAM promete continuar a monitorar a evolução dos sistemas tropicais, que poderão afetar também a costa centro e norte de Moçambique.

Para Agostinho Vilanculos, porta-voz da Direção Nacional de Águas, as próximas 72 horas são cruciais. "Se a precipitação persistir na região norte, a bacia de Megaruma poderá atingir o nível de alerta, mas sem grandes impactos", declarou.

O porta-voz faz uma alerta: "Importa referir que a atenção especial vai para a transitabilidade entre Chiúre e Mecúfi [distritos localizados em Cabo Delgado] nas próximas 72 horas".

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados