1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Macadâmia, a noz de Moçambique que está na moda

É saborosa, tem um alto valor nutricional e também é utilizada na cosmética. No Niassa, no norte do país, investidores estrangeiros estão a apostar nesta cultura. A província olha para a noz com grande expectativa. 

O clima ameno da província do Niassa é ideal para cultivar a macadâmia. E um grupo de investidores holandeses e sul-africanos, da empresa Macadâmia Niassa Lda., investiu aqui 20 milhões de dólares norte-americanos. Ao todo, são mais de cinco mil hectares dedicados à cultura do fruto.

"A macadâmia é algo novo para Lichinga [a capital provincial]. Este projeto só vai começar a produzir daqui a 10-20 anos. É um investimento pesado, em que se tem de investir no início e esperar 10 anos até se poder ter retorno”, afirma Segundo Izar Holtzhausen, gestor da empresa.

Macadamia

Plantações de macadâmia na província do Niassa, norte de Moçambique

110 moçambicanos trabalham na empresa. A meta é produzir 20 mil toneladas de macadâmia, nos próximos 15 anos, e transportar cerca de mil contentores da noz para o mercado internacional.

A noz da macadâmia é cada vez mais conhecida. "A macadâmia está a ser conhecido agora no mundo como “super food”, como aquelas comidas que são melhor para a saúde das pessoas. Usa-se em óleos, manteigas, nozes. Todo o produto de macadâmia é usado para o bem-estar. Os óleos são mais para os cosméticos", explica o gestor zar Holtzhausen.

Niassa poderá vir a ser dos principais produtores mundiais

"Nos próximos 30-40 anos, a macadâmia vai ter muita procura no mundo. E nós queremos estabelecer aqui em Moçambique uma grande fonte de macadâmia", acrescenta Izar Holtzhausen quer que a província do Niassa se torne num dos maiores produtores do mundo. A Austrália é atualmente o maior produtor de macadâmia, seguida da África do Sul e do Quénia.

Ouvir o áudio 02:17

Macadâmia, a noz de Moçambique que está na moda

O governador do Niassa está contente com o projecto. "Isto é muito significativo para a nossa província porque vai naturalmente ocupar o lugar que deve ocupar, no sentido de promover a produção da macadâmia, porque temos condições excelentes para a produção desta amêndoa", defende Arlindo Chilundo.

Segundo o governador do Niassa, a província nortenha precisa de mais investimentos do género para "sair do anonimato". 
A macadâmia é produzida sobretudo no distrito de Chimbunila, mas também em Lichinga e Majune.

 

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados