1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Libéria: agricultura e exportações são alguns dos desafios de George Weah

Uma semana depois do anúncio oficial dos resultados, o povo liberiano mostra-se expectante num futuro melhor. Estradas e agricultura devem ser prioridades, diz a população. Economista defende maximização da produção.

Liberia Monrovia George Weah (Reuters/T. Gouegnon)

George Weah é o novo presidente da Libéria

Depois de liderada por Ellen Johnson-Sirleaf, vencedora do Prémio Nobel da Paz em 2011, a Libéria está agora nas mãos de uma lenda do mundo do futebol. No passado dia 26 de dezembro, os liberianos foram às urnas para a segunda volta das presidenciais e deram a vitória a George Weah, com 61,5% dos votos.

Uma semana depois do anúncio oficial dos resultados, o povo liberiano mostra-se não só feliz pelo seu país ter tido uma transição de poder pacífica, mas também esperançoso e expectante num futuro melhor. A Libéria tem vindo a registar uma fraca atividade económica desde o surto de ébola que assolou o país em 2014 e 2015. A renovação da economia e o crescimento do emprego estão por isso também na lista de desafios de George Weah.

A DW África quis saber quais as expetativas e desejos dos liberianos fora da capital Monróvia. "O George foi futebolista, mas encontrou espaço noutras áreas e é aí que se encontra agora. No entanto, acho que ele precisa de tempo para dar provas do que vale”, começou por afirmar o liberiano Steve Debleh, acrescentando no entanto que o sucesso do novo Presidente "dependerá de todos”. "Devemos mover esforços para fazer isto funcionar, porque a Libéria não é sobre George Weah", dá conta.

Paz e educação

Catherine Fahn tem 16 anos e quer que o novo Presidente ponha os olhos na educação. "Quero que o governo de George Weah construa mais escolas para o povo liberiano e para os jovens porque a maioria dos nossos jovens não estão na escola e não têm qualificações", afirma.

Já para Joe Kolleh, um outro cidadão ouvido pela DW, a prioridade deve ser a questão da paz e a união das tribos Krahn e Gio, assim como o investimento na alimentação - "garantir que os liberianos se alimentam”, frisa.

 Liberia Wahlen George Weah (Getty Images/AFP/I. Sanogo)

Na segunda volta das presidenciais na Libéria, Weah arrecadou 61,5% dos votos.

Estradas e agricultura devem ser prioridades

Outros liberianos preferem falar dos desafios que aguardam o novo Presidente e a sua equipa. No entender de Ross Mason, o maior desafio de George Weah serão "as pessoas que tentarão infiltrar-se, através da amizade ou outros meios, para minimizar o seu Governo". Augustine Arkoi chama a atenção para a economia. "Não penso que seja uma economia saudável, como mostram as previsões das organizações internacionais. Ficou muito claro quem irá substituir a Presidente Ellen Sirleaf. E terá pela frente um desafio muito difícil: a estabilidade e viabilidade da economia", afirma.

Por fim, Charles Bryant alerta para a importância do investimento nas estradas. Para este liberiano, "quando houver estradas em todo o país, um cidadão comum pode plantar as suas batatas, trazê-las para a cidade e vendê-las para ganhar dinheiro. Os seus filhos podem ir para a escola. Se não existirem estradas será muito difícil”.

Ouvir o áudio 03:27

Libéria: agricultura e exportações são alguns dos desafios de George Weah

De acordo com Allen Seley, professor de economia da Universidade da Libéria, "a questão da economia na Libéria não é um problema individual”. O economista lembra que nos dias que correm "a economia está relacionada com a produção” que, no caso da Libéria, está em níveis muitos baixos. "Todos querem comprar nos mercados , o que fará com que o preço de mercado aumente. Não há dinheiro a entrar, não estamos a exportar, estamos apenas a importar”, constata o economista, acrescentando que, a seu ver, Weah deverá "maximizar a produção e priorizar as estradas”. "Quando há estradas podemos investir na agricultura. Nós costumávamos produzir o nosso próprio arroz, costumávamos ter a nossa própria comida, mas atualmente não”, explica.

George Weah que vestiu, entre outras, a camisola do Paris Saint-Germain e do AC Milan na década de 1990, deverá tomar posse a 22 de janeiro.

Na sua primeira entrevista como Presidente da Libéria, concedida no início desta semana, George Weah traçou algumas metas que parecem ir de encontro aos desejos da população. O ex-jogador de futebol defendeu o investimento na agricultura de modo a que "as pessoas possam cultivar os seus próprios alimentos” e o reforço das exportações.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados