1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Líderes unidos em Kigali lançam passaporte único africano

Na cerimónia de encerramento da 27ª Cimeira da União Africana (UA), os líderes deram os primeiros passos em direção à livre circulação de pessoas em África com o lançamento do passaporte único em todos os Estados.

default

Presidente do Ruanda, Paul Kagame (esq.), e homólogo do Chade, Idriss Deby, apresentam em Kigali o passaporte único

O chefe de Estado do Chade, Idriss Deby, que presidiu à cimeira da UA, e o Presidente de Ruanda, Paul Kagame, anfitrião da cimeira que terminou esta segunda-feira (18.07), receberam os primeiros passaportes.

Ruanda Gipfel der Afrikanischen Union in Kigali

A 27ª Cimeira da União Africana aconteceu na capital do Ruanda, Kigali, entre 10 e 18 de julho

Para já, o documento está apenas disponível para chefes de Estado e delegados da UA e mais tarde será atribuído também a ministros dos Negócios Estrangeiros. Não foi, no entanto, revelado se e quando os cidadãos comuns do continente vão ter direito ao documento.

Ideia causa algum ceticismo

Embora alguns africanos estejam otimistas quanto à ideia de um passaporte único no continente, outros estão em dúvida quanto à eficácia da medida.

"Eu não acho que o passaporte venha a trazer algo de bom, pelo contrário, acho que vai trazer complicações no futuro", diz Asrat Tasse, politico etíope de Addis Abeba.

O nigeriano Pedre Igbama quer ver para crer: "Uma coisa é fazer um anúncio político, outra coisa é de facto aplicar o que foi anunciado. Por um lado, é uma boa política porque poderá trazer avanços económicos e irá integrar os diferentes Estados. Mas os Governos de todos os países devem aplicar medidas para que a ideia possa funcionar muito bem".

Südsudan ugandische Bürger warten auf Evakuierung aus Sudsudan

Todos os dias chegam dezenas de deslocados à fronteira com o Uganda com receio de um conflito militar no Sudão do Sul

Sudão do Sul em discussão

Outro assunto em cima da mesa, na segunda-feira, no último dia da cimeira da União Africana, em Kigali, foi a situação no Sudão do Sul.

De acordo com Smail Chergui, comissário para a paz e segurança da UA, os líderes africanos aprovaram a proposta de envio de uma força regional para o país com um mandato mais robusto do que a atual missão de paz das Nações Unidas no terreno.

"Também decidimos pedir a observação do cessar-fogo e a criação de corredores humanitários para ajudar as pessoas que necessitam. Há a ideia de promover o envio de uma força africana no âmbito das Nações Unidas. Todas essas questões foram aceites pela a cimeira da união", explicou.

Ouvir o áudio 03:05

Líderes unidos em Kigali lançam passaporte único africano

O cessar-fogo imposto no Sudão do Sul há uma semana terminou com quatro dias de violentos confrontos entre as forças leais ao Presidente Salva Kiir e as tropas do vice-presidente Riek Machar. Pelo menos 300 pessoas morreram e quase 40.000 ficaram deslocadas.

Os últimos episódios de violência aumentam o receio de um eventual regresso à guerra civil que começou em dezembro de 2013. Dezenas de diplomatas foram retirados do país, segundo as agências de notícias internacionais.

A eleição do novo presidente da comissão da UA foi adiada para janeiro de 2017, já que nenhum dos três candidatos conseguiu o apoio da maioria na cimeira de Kigali.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados