Líderes europeus tentam manter acordo nuclear com Irão | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 16.05.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Líderes europeus tentam manter acordo nuclear com Irão

Ministro do Negócios Estrangeiros do Irão em périplo diplomático para discutir continuidade de acordo nuclear. Homólogo alemão diz que acordo traz segurança e estabilidade.

default

Líderes europeus reuniram-se, em Bruxelas, com o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Javad Zarif

Desde que o Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou a saída dos Estados Unidos da América do acordo nuclear, o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Javad Zarif, iniciou uma verdadeira maratona diplomática. Na terça-feira (15.05), por exemplo, esteve em Bruxelas, depois de nos últimos dias ter passado por Moscovo e Pequim.

Na bagagem, tem a difícil tarefa de encontrar terreno comum com os outros cinco signatários do acordo nuclear - a Rússia, China, Reino Unido, França e Alemanha. O objetivo é manter o pacto vivo.

Na segunda-feira (14.05), em Bruxelas, a líder da política externa da União Europeia, Federica Mogherini, afirmou que os esforços diplomáticos das partes envolvidas podem conduzir a "soluções práticas" nas próximas semanas.

Belgien Brussel - Irans Außenminister Javad Zarif und Federica Mogherini

Federica Mogherini diz que há "terreno comum" nas negociações para a continuidade do acordo

Mogherini considerou que a reunião foi "positiva" e que foi possível encontrar consenso em relação a algumas das medidas a pôr em prática.

"Reafirmámos, em conjunto, a nossa determinação em continuar a implementar o acordo nuclear em todas as suas partes, de boa fé e num ambiente construtivo, e concordámos em continuar a debater a todos os níveis com todos os signatários do acordo nuclear iraniano", comentou a chefe da diplomacia europeia.

Irão pede garantias

Teerão quer garantias dos signatários de que o acordo nuclear manter-se-á em vigência, mesmo sem os EUA e pede uma resposta em 60 dias. O Irão exige compensações financeiras assim que as sanções norte-americanas entrarem em vigor.

O ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Heiko Maas, defende que é necessário que o Irão receba "incentivos" para permanecer no acordo, pelos resultados que este acordo traz.

Ouvir o áudio 03:10
Ao vivo agora
03:10 min

Líderes europeus tentam manter acordo nuclear com Irão

"É claro que este acordo proporciona segurança à Europa. Sem este acordo, haverá mais insegurança e incerteza sobre os desenvolvimentos no Irão e no Médio Oriente, e é isso que nós queremos evitar", explicou Maas.

Os EUA querem punir empresas e Estados que continuem a cooperar com o Irão. O ministro francês da Economia, Bruno Le Maire, já anunciou que França vai criar um mecanismo de proteção para as suas empresas. A Comissão Europeia pretende introduzir medidas similares.

O acordo nuclear celebrado em 2015 tem como objetivo impedir o Irão de desenvolver armas nucleares. Em troca, foram levantadas sanções económicas contra aquele país.

O ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Javad Zarif, quer garantias de que os restantes signatários, sem os EUA, conseguem cumprir o pacto.

"Acredito que este é um bom começo, ainda não estamos lá, mas começámos o processo e precisamos de receber as garantias que nos foram dadas. Vamos ver como podemos, da melhor forma, avançar nesse sentido".

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados