1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Líder da UNITA foi a Benguela pedir aposta na mudança

"Queremos a mudança agora, por todo o país", apelou quarta-feira (16.08) o líder do maior partido da oposição, num comício em Benguela. Isaías Samakuva acusou o MPLA de ter falhado completamente após 42 anos no poder.

default

Isaías Samakuva (foto de arquivo)

O presidente da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) discursou perante uma multidão de militantes e simpatizantes que se reuniram em Benguela, no sul do país.

A uma semana das eleições gerais, Isaías Samakuva pediu  aos angolanos para apostarem na mudança. "Nós não queremos adiar a mudança para o próximo ano. Queremos a mudança agora, por todo o país", apelou. "Olhando para o nosso povo, tudo o que vemos é sofrimento", lembrou ainda Samakuva.

Ouvir o áudio 03:14

Líder da UNITA foi a Benguela pedir aposta na mudança

Virando o seu discurso para o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), o líder da oposição disse que, em quatro décadas de governação, o partido que tem João Lourenço como cabeça-de lista faliu completamente o país.

E também não cumpriu muitas promessas que fez, como "água para todos, um milhão de casas, um milhão de empregos  ou medicamentos nos hospitais", lembrou Samakuva.

Para mudar este cenário, a UNITA é a solução, disseram apoiantes do partido presentes no comício. "Desta vez queremos mudança. Chega de roubo", disse um cidadao ouvido pela DW África. "No dia 23 de agosto, vamos melhorar as coisas", prometeu ainda uma eleitora de Benguela.

Defender os votos

Para o líder da UNITA, os cidadãos têm um papel importante a desempenhar nas eleições gerais na próxima semana de 23 de agosto. Isaías Samakuva apelou aos angolanos para defenderem os seus votos nas assembleias. "Não fiquemos parados. Não aceitemos ficar em casa", sublinhou o candidato.

O apelo  já foi contestado pelo MPLA, que afirmou que a permanência dos cidadãos nos locais de votação mostra que há a intenção de se criar um ambiente de crispação durante o escrutínio.

Esta quinta-feira (17.08), o cabeça-de-lista do MPLA, João Lourenço, também realiza um comício na província de Benguela.

 

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados