1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Kaboré eleito Presidente do Burkina Faso

Roch Marc Christian Kaboré obteve maioria absoluta na primeira volta das presidenciais de domingo (29.11), com 53,5% dos votos. Um virar de página num ano de transição tensa, que pôs fim a 27 anos do regime de Compaoré.

Kaboré surpreendeu o país, que dava como certa a realização de uma segunda ronda. O presidente da Comissão Nacional Eleitoral Independente (CENI), Barthélémy Kéré, que anunciou os resultados na madrugada desta terça-feira (01.12), elogia os 14 candidatos. "Felicito todos os candidatos destas eleições. São todos vencedores pelas suas campanhas eleitorais, a sua justiça, tolerância e respeito pelo outro."

A vitória de Kaboré, antigo primeiro-ministro do Presidente deposto numa revolta popular, Blaise Compaoré, é um momento marcante na história do país da África Ocidental. Este é o primeiro novo Presidente eleito após décadas de governos compostos por personalidades que chegaram ao poder através da força, desde que o Burkina Faso se tornou independente de França, em 1960.

Blaise Compaoré Präsident Burkina Faso

Blaise Compaoré foi derrubado quando tentava alterar a Constituição

O principal rival de Kaboré, o antigo ministro das Finanças Zéphirin Diabré, obteve apenas 29,7% dos votos. Diabré deslocou-se à sede de campanha de Kaboré para felicitá-lo pessoalmente pela vitória eleitoral.

No domingo, o candidato da União para o Progresso e a Mudança, de 56 anos, ainda acreditava que iria vencer as eleições. "Viajei por todo o país e conversei com muitas pessoas. A população quer mudar. E o meu programa promete esta mudança. Presumo que a maioria vai votar em mim", disse então.

Última etapa da transição

As eleições de 29 de novembro foram a última etapa de uma transição liderada por Michel Kafando, que não era candidato. Deveriam ter tido lugar a 11 de outubro, mas foram adiadas na sequência de uma tentativa de golpe de Estado liderada pelo Regimento de Segurança Presidencial, agora desmantelado. Rram, por isso, aguardadas com grande expectativa.

A votação de domingo marcou também o fim do longo "reinado" do Presidente Blaise Compaoré. Liderou o país durante 27 anos e, no ano passado, anunciou uma mudança na Constituição para poder candidatar-se novamente às presidenciais. Mas a população saiu à rua e forçou a deposição do ex-chefe de Estado, em outubro de 2014.

"Uma eleição sem Blaise Compaoré é realmente um feito histórico neste país. E, na minha opinião, esta é a votação mais democrática", sublinha o advogado Ollo Pooda.

Ouvir o áudio 03:16

Kaboré eleito Presidente do Burkina Faso

Também os observadores elogiaram a boa organização das eleições. O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, saudou o escrutínio pacífico e a participação "entusiasta" do povo do Burkina Faso – que considera ser a prova de um forte compromisso com o processo democrático.

Resta saber que mudanças trará a vitória de Kaboré ao país. O vencedor das presidenciais, dizem vários analistas, está muito próximo do antigo regime. E é acusado de oportunismo pelos seus adversários. O líder do Movimento Popular para o Progresso foi primeiro-ministro entre 94 e 96 e presidiu ao Parlamento durante 10 anos no Governo de Compaoré. Mudou de partido pouco antes da queda do regime. "Temos uma total ruptura com o antigo sistema. Isso é passado, nós olhamos para o futuro", promete.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados